Sendo o cara lateral

O lateral-direito Weverton, 19 anos, tá sendo falado em todo o Brasil por conta do drible que deu no Neymar. E a informação serve pra gente aqui é que o Weverton era jogador das categorias de base do Inter até bem pouco tempo. Jogou aqui entre 2016 e 2018. Após isso, passou um tempo no […] Durante o programa Tá Na Área, do SporTV, o apresentador Fred Ring brincou com o fato de o atacante Orlando Berrío estar sendo testado como lateral-direito. Ring lembrou ainda da importância de Rafinha na decisão da Recopa Sul-Americana. Casa decorada a venda no Encontro das Águas, 850m2 de área construída, terreno nascente com 2.750m2 com 20 arvores frutiferas. Casa com 6 suites, varanda Frontal sala de estar, sala de jantar, cozinha , área de serviço, dependencia completa de empregada, despensa, 6 suites (sendo 4 no térreo, sala de degustação, escritório, sala de TV, varanda lateral , redárium, grande depósito ... Baixe estas Foto grátis sobre Vista lateral do casal na cama, sendo romântico, e descubra mais de 5 Milhão de fotos de arquivo profissionais no Freepik O técnico Cuca segue à procura de um lateral-direito. Nesta segunda-feira, o comandante tricolor barrou Hudson da vitória por 4 a 0 sobre a Chapecoense pelo fato de o volante não estar disposto a ser efetivado na função em que vem sendo improvisado e acionou Igor Vinícius. Entretanto, como possui somente uma opção de origem para o setor, o treinador continua monitorando o mercado ... O jovem atleta de 18 anos de idade, chegará ao time rubro-negro sem nenhum custo, sendo que o Flamengo poderá comprar o lateral-direito, de acordo com o seu desempenho enquanto o contrato de empréstimo for válido. Os valores estão fixados no contrato, mas não foram revelados. O cara inventar colocar zagueiro na lateral no segundo jogo dele é pura burrice, especialmente porque ele claramente não conhece o elenco. O cara modificar o time eventualmente é natural, óbvio que vai colocar a marca do trabalho dele presente na equipe, mas fazer isso tão cedo é destruir um trabalho que vinha sendo feito há um ano.

Precisamos falar sobre: Patrick de Paula e Gabriel Menino

2020.09.17 04:20 fujfy7 Precisamos falar sobre: Patrick de Paula e Gabriel Menino

Boa noite.. Chegou a hora de falar de Patrick de Paula e Gabriel Menino..
Sério, não é sendo clubista, mas faz tempo que não vejo um futuro tão promissor de jovens no meio campo no Brasil..
Posso estar super precoce, iludido, mas tenho que levantar a moral e reconhecer o que estão fazendo.
Pra quem acompanha sabe: Patrick de Paula tem a frieza de um cara de 40 anos, assumiu totalmente a responsabilidade contra o Corinthians na final, jogou como gente grande em Itaquera e vem dominando o meio campo do Palmeiras e colocando medalhões como Ramires e Bruno Henrique no banco (não é difícil, mas o processo foi muito rápido) Desculpa, mas eu acho o estilo do Patrick igual ao do Pogba (não estou comparando o futebol, digo o estilo de jogo) e do Gerson do Flamengo..
Por outro lado, o Gabriel Menino vem de uma evolução constante, começou como lateral direito improvisado, fez uma boa atuação, mas se encontrou como 2 volante.. A grande diferença para o Patrick é que o Menino é mais marcador, comete muitas faltas, mas por outro lado, tem uma armação de jogo melhor, tem mais poder de decisão.
O que mais me chamou a atenção dos dois foi:
O Patrick veio da taça das favelas, onde pra mim estão as maiores jóias do Brasil, lá é o verdadeiro futebol, é lá onde o bicho pega, a bala come, e o mlk aprende a jogar bola de verdade.. mas o que surpreendeu foi que ele pediu pra bater o último pênalti na final do paulista, querendo ou não, ele tem 19 anos.. É o jogo que marca se o cara vai ser lembrado ou odiado pra sempre, isso pra mim foi foda!
Se eu não me engano, o Gabriel Menino quebrou/torceu a mão antes das finais do paulista, e pediu pra jogar, e até hoje usa a atadura (talvez não tenha dado tempo de recuperar ou se fizer a cirurgia vai ser afastado, sei lá eu).. Mas o foda é que o mlk não é poupado nunca, ele deve saber que é a chance da vida dele.. Quem é palmeirense ou quem acompanha sabe que ele tem uma raça da porra, da gosto de ver o mlk jogar.. É daqueles que felizmente ainda não foi corroído por dinheiro, sabe o significado..
Mesmo que os dois não dêem certo (o que sinceramente, eu acho muito difícil) é algo que me chama a atenção, é muito gratificante como torcedor ver isso acontecer, principalmente no Parmera onde a base começou a ser valorizada só há uns 3, 4 anos atrás e também que a diretoria acha que tudo é resolvido no Money, agora sabemos que não é bem assim.. (Também temos o Veron, outra grande jóia)
Enfim, eu acho que eles terão oportunidade na próxima Olimpíada, mas eu enxergo um futuro gigantesco pela frente na Europa (infelizmente) e na seleção brasileira..
Gravem esses nomes: Patrick e Gabriel Menino..
Edit: Difícil escolher entre os dois, mesmo sendo do meio campo, possuem características diferentes.. Patrick é mais ágil, tem mais frieza também, mas erra muitos passes (precisa melhorar isso) E o Menino desarma mais, tem mais chegada no ataque, mas comete muitas faltas (também precisa melhorar isso)
Se eu tivesse 100 reais pra apostar... 60 no Patrick e 40 no Menino
O futuro já é realidade
submitted by fujfy7 to futebol [link] [comments]


2020.08.05 17:59 NicolasSchieberwein BEIJEI MEU AMIGO E ELE ME DEU UM EMPURRÃO (╥︣﹏᷅╥᷅)

Oi todo mundo da fase da Terra
AGORA DEU MERDA
 Meu amigo veio passar um tempo na minha casa, ficar as férias comigo (ps: eu ñ moro no Brasil). Foi muito divertido passar o tempo com ele, até alguns dias atrás. 
Vou tentar recriar o clima (para vcs entenderem pq eu fiz o que fiz):
Nós estávamos na minha casa, era de noite e nos estávamos sozinhos, pq meus pais foram ajudar minha vovó ( ela é fraca e a pandemia está sendo muito complicada para ela ). Estávamos vendo Ghost (um filme de comédia romântica dos anos 90), só as luzes da lateral da sala estavam ligadas, o que deixava ela pouco iluminada.
Ele estava com o pijama de mini dinossaurinhos (que fica extremamente fofo nele) e nós dois estávamos enrolados na coberta junto com as pipocas.
Nós estávamos rindo de uma sena da personagem da Whoopi Goldberg, e ele estava relativamente próximo de mim, dando aquela gargalhada contagiante, ele escondeu o rosto meu ombro ( ele sempre faz isso quando ri muito ou fica com vergonha de alguma sena ).
Quando ele levantou o rosto, eu JURO que eu não sei o que deu em mim (devia ser o sono), eu beijei ele e então ele... ele me deu um empurrão.
(╥︣﹏᷅╥᷅)
O momento foi muito bizarro nos dois ficamos em choque, pelo empurrão mas principalmente pelo beijo ( esse foi meu primeiro beijo, [ e conta como beijo pq eu cheguei a enfiar a língua na boca dele], e eu sei que ele sabe disso ).
Eu só consegui pedir desculpa e me tranquei no quarto da minha irmã e fiquei chorando (aliás eu ando chorando muito, ultimamente eu estou realmente emotivo ). Uns minutos depois ele bateu na porta do quarto e disse que a vó dele tinha chamado um Uber e ele ia para casa, e perguntou se eu podia abrir a porta para ele. Isso foi horrível eu não olhei para cara dele durante o caminho até a porta, eu tava tremendo e fungando muito.
Desde então não nos falamos mais, eu não sei se consigo olhar na cara dele, ele ñ me bloqueou em nada e nem contou para ninguém, mas também ñ entrou mais em contato.
O QUE DIABOS EU FAÇO?
-converso com ele sobre o que aconteceu?
-finjo que nada aconteceu ?
-nunca mais falo com ele?
-arrumo um namoro a curto prazo, só para ele ñ querer falar sobre esse assunto?
SE ELE VIER FALAR COMIGO?
-eu converso
-eu mudo de assunto
Pfv me ajudem!
Resolução: https://www.reddit.com/TurmaFeira/comments/i4t5bl/deu_um_beijo_no_meu_amigo_e_ele_me_deu_um/?utm_source=share&utm_medium=ios_app&utm_name=iossmf
submitted by NicolasSchieberwein to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.30 05:07 _Pacu Comentários Pós-Jogo (Palmeiras 2x0 Santo André) (88’ Felipe Melo, 95’ Marcos Rocha)

É inegável a falta que o Dudu faz para esse estilo de jogo e a liderança dele no ataque do Palmeiras, a capacidade de fazer passes, infiltrações e dribles do baixinho faz muita saudades. O que o Rony apresentou até agora não foi nada demais, mas ainda é uma adaptação a um novo estilo de jogo e aos companheiros, passar 4 meses sem jogar junto faz falta, mas não é o único motivo das queixas, falta visão de jogo por enquanto.
Gostei muito da parte defensiva do time, levou um susto grande e que Gómez salvou na hora certa (renovar com ele valeu mais que uma contratação) mas no geral, não sofremos grande perigo a não ser uma cabeçada, Diogo Barbosa mais uma vez jogando bem e fazendo a parte defensiva correta, apesar de uma bola aérea que levou perigo, já tinha entrado bem contra o Corinthians, e hoje confirmou a primeira impressão. Marcos Rocha fez uma grande partida também, vale ressaltar que acabou por estar adiantado e não deu combate no lance de perigo do SA no primeiro tempo.
Felipe Melo sendo mais uma vez a peça que organiza a saída de bola e distribuindo muito bem, ainda acho que falta um cara que possa dividir essa função com ele no meio-campo, e como volante ajudou ainda mais a quebrar os contra-ataques do SA. Quanto ao gol dele, sabemos que temos alguém que leve perigo na bola aérea. Muito boa a alteração do Luxemburgo colocando ele de volante, ganhamos tanto ofensivamente com as chegadas do FM quanto defensivamente com um zagueiro.
Agora o meio campo foi bem complicado, até a entrada do Lucas Lima o time mal conseguia abrir a bola para os laterais e não tinha uma chegada, parecia um time muito mais dividido entre Meio-Campo e Ataque. Porém, com a entrada dele e do Scarpa o time conseguiu tirar a bola do meio campo e colocar na frente.
Luiz Adriano e Bigode não fizeram um bom jogo, tanto na movimentação quanto na finalização do último, talvez se tivéssemos colocado um jogador de velocidade/drible, tivéssemos resolvido o jogo antes, mas ainda sim, méritos para Luiz Adriano pela garra na hora da marcação e aquela bola que voltou até a lateral para recuperar.
Quanto aos meninos da base, bom jogo do Patrick e do Menino, apagados, mas ainda acho que faltou alguém que tivesse uma capacidade de quebrar a linha para poderem render mais. Não comprometeram em nada. Achei o amarelo do Menino exagerado, subiram para dividir, não teve maldade no lance a ponto de justificar o uso do VAR ou o cartão.
2x0 sofrido, mas ainda sim uma vitória e estabilidade para Vanderlei continuar o trabalho, acertou no sistema defensivo mas deixou a desejar no ataque.
Avanti!
submitted by _Pacu to palmeiras [link] [comments]


2020.06.22 15:22 Rejane-nha O pior dia da minha vida

titulo : Odeio Hallowen no Callcenter
Alerta de textão, mas vale a pena rs ...
Oie Luba , Editores, gatinhas, possível convidado ( que provavelmente é o fofo do Jean) e turma que está a ver , resolvi compartilhar o pior dia da minha vida com vocês . Eu trabalho em um callcenter e , não sei se vocês sabem, mas em datas comemorativas a gente costuma se fantasiar , decorar e fazer algo do tema , na grande maioria eu adoro e entro na bagunça , porém , todavia , entretanto , eu odeio o Hallowen. Eu tenho uma fobia , fobia mesmo que trato com pscicologo e tals , que é fobia de zumbis . E ADEVINHA qual é a fantasia mais fácil de se fazer no Hallowen ? Eh , pois é , zumbis ... então , avisei a supervisora sobre , que conversou com os outros supervisores do andar e no meu andar não teve ninguém vestido de zumbi . Falei com a psiquiatra e ela me passou medicamento pra controlar a ansiedade pra tomar antes do expediente . Troquei de lugar e fiquei num cantinho onde não passa tanta gente ...Ok , tudo certo, tudo lindo, sobrevivi sem muitos danos ( só não sai do andar o expediente todo rs e fui embora de escada pra não pegar elevador com ninguém ...
Aí no dia seguinte , já mais calma, sem o remédio , vida que segue... tinha uma simulação de incêndio , e eu ia participar , tenho a mania de prender o cabelo com uma caneta ( como se fosse pauzinhos japoneses ) e juro que é relevante ... vale ressaltar que no dia tinha promolters de um canal de tv por assinatura e um pessoal do outro prédio visitando o nosso setor ( e que não faziam ideia da simulação ). Começou a sirene , os brigadistas super empolgadoes como se fosse mesmo um incêndio real , comecei a descer as escadas , os andares começaram a se misturar , o pessoal do outro prédio e os promolters achando que era fogo de verdade , os mulekes idiotas gritando e fazendo bagunça .... aí minha ansiedade já tava lá encima ... SÓ QUE , pra fechar com chave de ouro... o pessoal do administrativo decidiram fazer o hellowen um dia depois do restante do prédio, sendo aquele dia, e quando eu viro pra trás na escada , dou de cara com quem ? Eh , um estagiário, vestido de que ? De zumbi ! Pra ajudar ele olha pra mim e fala “ corre” . E eu ? Corri! Escada abaixo, desesperada , chorando , tropeço como se minha vida dependesse disso de verdade . Caio. Um rapaz muito educado veio me ajudar a levantar , e ele ? Tava de zumbi!!!! Eu gritei , peguei a caneta ( eu falei que era relevante ) e taquei na cara dele pra me defender e continuei a descer . Cheguei no térreo, estavam formando uma fila na lateral direita do prédio pra fazer a volta , mas tava cheio de gente e de zumbi! Virei pro outro lado e esbarro num cara , vestido de vampiro , mas eu tava tão mal que só vi o sangue falso escorrido na boca . Atravessei a rua correndo , no meio dos carros, desesperada , descabelada , chorando e ralada ...uma brigadista veio atrás pra me “buscar” , quando me segurou e eu vi que era uma “pessoa” eu vomitei ( no pé dela) e desmaiei . Eh quanto glamour. Acordei no ambulatório e fui dispensanda o resto do dia , tive que ir pro pronto socorro tomar medicamento pra voltar da crise .
Ah e o menino está bem, por sorte pegou a parte de trás da caneta e só fez um vergão no rosto dele que sumiu em alguns dias , a gente conversou e ele virou meu amigo, vive fazendo piadinha que eu “marquei a vida dele”.
Essa é minha historia , do pior dia da minha vida ... bjs menor que treix, de Curitiba .
submitted by Rejane-nha to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.03 22:21 tampinhaa44 Eu sou babaca por achar que não devo desculpas a um menino que debochou das minhas desculpas?

Olá Lubixco, turma que está a ver, editores, hackers russos e (im)possível convidado! Hoje eu vou contar uma história recente, porém longa, pra vocês julgarem se eu sou a babaca ou não. Espero que gostem!
Pra dar um contexto, eu trabalho numa plataforma parecida com o Tik Tok e por trabalhar com isso, eu tenho vários contatos de amigos e colegas de várias partes do país. Tem alguns prints de conversas pra baixo então eu vou indicar mais ou menos quem é quem e oq cada um é na minha vida (com nomes fictícios é claro)
Davi - 19 anos, mais de 1M de seguidores
Marcos - moderador do grupo, um dos meus melhores amigos, 40K de segs
Carla - 13 anos, minha melhor amiga, 500K de segs
Mariana - 18 anos, 3.3M de segs (um parênteses aqui é que ela é uma pessoa incrível e é a maior influenciadora desse app, ela é tipo uma mãe para todos ali, ela é imbátivel, seria impossível ganhar dela em qualquer votação independente pra que fosse)
Eu - 13 anos, 900K de segs
Tem outras pessoas participando disso, mas os nomes não são relevantes
Bom, há três anos, eu e meus amigos fazemos uma espécie de Big Brother, com provas, eliminações e quase tudo que se tem direito (menos ficar na mesma casa pq cada um é de uma parte do país). Eu participei das últimas duas edições, sendo que na primeira que eu participei, fui tão planta que nem me lembro doq aconteceu. Nessa última edição, de 2020, estávamos todos muito animados, afinal seria um Big Brother com paredões reais e rejeições reais. Não vou contar oq aconteceu nas provas pq não é relevante, a questão é que em certo momento do jogo, uma participante fez uma pergunta simples como “o voto vai ser divulgado?” e então o Davi respondeu de uma maneira muito grossa, chamando ela de burra e tals... Eu me senti mal por ela (afinal eu já sabia que o Davi não gostava de mim pq ele sempre soltava indiretas pra mim, geralmente zombando da minha vida amorosa) mas resolvi não dizer nada. Então a Carla disse no grupo que ele deveria ser um pouco menos grosso com as pessoas e que ela não tinha feito nada pra ele. O Davi ficou puto por causa disso e fez o jogo inteiro colocar a Carla no paredão. No dia seguinte, ele fez uma live mandando votarem pra Carla sair (até aí tudo bem, meio grosseiro da parte dele, mas é um jogo, entendemos que não tinha nada de pessoal ali apesar de ele nem estar no paredão). A Carla saiu e, enquanto eu ficava triste pela saída dela, ele comemorava. Nada contra pq ele tem o total direito de não gostar dela, e eu entendo isso. No dia seguinte à eliminação da minha amiga, ele convenceu o líder a me colocar no paredão. Pelo voto do resto da “casa” quem foi ao paredão comigo foi a Mariana (lembra que eu disse que ela era imbatível? Pois bem eu não estava brincando). Mariana disse que não ia fazer nenhum tipo de apelo pq não ligava muito pro jogo (e pq não precisava). Em certo momento das conversas do grupo, eu discutindo com o Davi por ele saber que seria totalmente injusto me colocar contra a Mariana, ele solta uma assim “quando vc tiver todos os dentes da frente, a gente conversa, tá?”
Isso me quebrou... eu sou uma pessoa extremamente segura com meu corpo mas meus dentes são meu ponto fraco... Eu caí no choro e disse a ele que a atitude de me chamar de sem dente foi extremamente podre; até pq, com inseguranças não se brinca. Davi disse que não sabia que eu tinha dentes faltando e me pediu desculpas (ele me pareceu bem sincero, apesar de eu quase nunca acreditar nele) então eu aceitei mas disse que continuei chateada. Depois disso, ele gritou comigo e disse que eu sempre acusava os outros, mas quando me acusavam, eu ficava reclamando (do meu ponto de vista, parecia que falava de si mesmo, pq a descrição bate certinho com as atitudes dele) mas eu estava bem mal então não terminei a briga e fui dormir.
No dia seguinte, conversando no grupo, ele soltava várias indiretas pra mim, mas eu continuei ignorando como sempre fazia. Marcos então, vendo a injustiça que fizeram comigo, me defendeu (lembrando que Marcos era o moderador do jogo, tipo um Boninho, e até ele viu que estava injusto pra mim) mas não pôde fazer muito pq ele não pode manipular o jogo, e Marcos mesmo estando extremante frustrado, reconheceu que seria injusto se cancelasse o paredão.
Eu então, fui tentar “arrecadar” votos em uma live minha, com a Carla. Em certo momento da live, nós comentamos com os fãs que achamos que a atitude de Davi de ser extremamente grosseiro com as pessoas, era uma atitude não muito legal, mas não chegamos nem a tocar no assunto de ele me ofender pelo meu corpo, afinal eu não queria que as pessoas o odiassem, apesar de eu não gostar de Davi, sei que o Hate só iria piorar as coisas pra ele e ele provavelmente não aprenderia nada. A live correu muito bem na primeira hora mas depois disso, começou a desandar... As pessoas vinham em minha live dizer que Davi estava em live também e que estava falando mal de mim. Não dei muita bola pq os seguidores geralmente aumentam muito as coisas, imaginei que ele estivesse apenas pedindo para me tirarem do Big Brother, então deixei pra lá e continuei minha live.
Mais ou menos meia hora depois, as pessoas continuavam a comentar sobre ele, até que chegou em um ponto que eu li um comentário exatamente assim: “Davi mandou denunciar sua live” Eu fiquei meio preocupada por eu ser menor de idade e não ter total permissão para fazer live, mas fingi que não li e continuei conversando com a Carla normalmente.
Dois minutos depois, uma amiga muito próxima minha veio na minha live e disse isso: “O Davi tá acabando com vc na live dele, mandou denunciar vc e afins” Por ser uma amiga minha, eu sabia que ela não estava mentindo, então desliguei a live e fui olhar o grupo. Davi mandou diversos áudios e mensagens dizendo que eu tinha que parar de por (pôr?) as pessoas contra ele e que eu precisava parar de jogar a culpa dos meus atos em cima de outras pessoas (novamente, parece até que ele fala de si mesmo) e eu confusa, perguntei o que havia acontecido. Descobri que enquanto as pessoas diziam que ele falava mal de mim na minha live, outras pessoas faziam o mesmo na live dele. Mas diferente de mim, ele resolveu acreditar. Meu amigos disseram que ele me xingou em live e que ele realmente mandou os fãs me denunciarem, mas como eu não vi isso, nem tem gravações de tela, eu prefiro não acreditar 100% neles, pq eu acredito que se não há provas, vc não pode acusar uma pessoa.
Eu entrei na live do Davi e perguntei a ele se eu podia entrar por ligação pra me explicar pra ele e para os fãs (que nesse ponto já comentavam “falsa”, “mentirosa” e até emojis de cobra). Ele atendeu e eu comecei a explicar pra ele que não tinha falado mal dele e que nunca ia mandar denunciar a live dele, pq isso seria extremamente hipócrita da minha parte, já que eu não podia fazer live sendo menor de 16, apesar de eu ter um contrato pra isso, que dizia o contrário. Comecei a pedir desculpas (apesar de eu não precisar me desculpar, pq não fiz nada de errado), disse que eu poderia ter abordado as coisas de outra maneira. No geral, eu pedi desculpas pelas coisas que eu sabia que tinha errado e me expliquei nas coisas que eu achava que eu estava certa. Ele estava completamente cético que eu estava mentindo tudo, apesar de não dizer, dava pra sentir o deboche no olhar dele. Quando eu estava quase terminando de agradecer a ele pela oportunidade que ele me deu de me “desculpar” (sendo que eu não precisava ser desculpada), ele riu. Ele riu na minha cara. Ele debochou da minha situação em live, com mais de 1300 pessoas assistindo. Nesse ponto eu soube que não importava oq eu fizesse, ele sempre se acharia o certo e eu não conseguiria mudar a cabeça dele. Agradeci pela última vez e saí da live. Mas os comentários de hate não pararam, recebo uns até agora por causa disso.
Por fim, quando eu saí, ele me chamou de falsa e quando fui eliminada, ele comemorou. Durante a live, ele disse que tinha prints e gravações de tela de eu falando mal dele, mas quando eu pedi no privado, ele não mandou (deve ser pq não tem, né?) Fiz a mesma coisa e pedi pra todos os participantes do Big Brother pra me mandarem qualquer coisa que tinham minha falando mal dele e ninguém se pronunciou. Se vc estiver achando que eu inventei tudo, eu tenho prints das conversas no grupo e gravações de tela da live dele (não vou mandar as gravações pq não quero expor e nem dar palco pra ele mas vou deixar os prints em anexo.
edit: minha amiga pediu pra dizer também que eu fui muitooo cancelada pelos fãs do Davi (que não são poucos) e que ele se “resolveu” comigo no privado depois, mas nunca se resolveu comigo em live (então o cancelamento continua)... há alguns dias atrás aconteceu uma situação muito parecida com essa com um amigo meu (sim, eu fui cancelada de novo) mas isso fica pra outra história, né?
Nota lateral: os prints são meio confusos pq nós éramos 17 adolescentes em um grupo só, então eles mandavam muitas figurinhas com muita frequência, se eu fosse printar cada coisinha que aconteceu no grupo, ia ficar horrível pra ler, então os prints são meio sem continuidade mas dá pra entender pelo que eu falei aqui.
Mas então... Am I the asshole por achar que eu não devo desculpas a ele? Pode ser sincero, eu realmente quero saber qual a sua opinião e independente dela, eu vou continuar sendo sua fã. Beijos Lubixco e obrigada por ler minha história.
link dos prints confusos
submitted by tampinhaa44 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.03.22 01:07 CleverSleazoid_ Sou personal trainer, e vou passar uns exercícios com e sem peso pra fazer em casa com a sequência certinha e explicando tudo. Bem rapido e eficaz!

oi gente blz? primeiramente gostaria de dizer q minha intenção com esse post não é fazer vcs ficarem marombas, mas sim q se exercitem pra minimizar possíveis impactos negativos na saúde de vcs por ficarem mto tempo em casa parados (deitado, sentado etc).
na faculdade a gente aprende q é essencial a gente estimulatreinar um trio: panturrilha, lombar e glúteo. caras, real, exercitando esses 3 vcs vivem fácil mais de 100 anos - sério! sendo assim, minhas dicas de exercícios será para isso.
o treino será para 5 dias (segunda a sexta-feira) e intercalado: um dia vc vai fazer exercícios isolados para treinar um agrupamento muscular e no outro dia fará aeróbico + abdominais. os exercícios isolados vc pode fazer na sua sala, no seu quarto ou na area de casa. o aerobico seria melhor fazer em um lugar q tem um pouquinho mais de espaço, se rolar de fazer no quintal, melhor ainda.
DICA PARA HALTERES: garrafas cheias de água (garrafas de 2 litros ou 500ml). elas devem estar com um nível de agua q vc consiga fazer os exercicios q precisam de halteres - pela metade, metade da metade, ou cheia... etc. Se for usar duas garrafas, que elas estejam cheias no mesmo nível de agua
bora lá?
segunda-feira: membros inferiores + ombros
exercício 1: passada (ou avanço): tu vai fazer 3 séries de 10 passadas. fez 10 passadas, descansa 45 segundos e parte pra outra série.
exercício 2: (agachamento livre): tu vai fazer 3 séries de 15 agachamentos. fez 15 agachamentos, descansa 45 segundos e parte para a outra série. DICA PRO EXERCÍCIO: faça de conta q vc vai sentar numa cadeira, qd vc fizer isso, automaticamente seu corpo vai se inclinar para frente, e ok, isso faz parte da biomecanica do corpo. NÃO É NECESSÁRIO JOGAR O CORPO PRA FRENTE TENTANDO ABAIXA-LO COM A BUNDA, conforme vc vai agachando seu corpo vai inclinando naturalmente. sem medo de ser feliz, ao mesmo tempo q vc desce a bunda coloque toda a sua força nas pernas. POSIÇÃO DOS PÉS: coloque seus pés na distancia dos seus ombros; vire a ponta dos seus pés um pouco para fora; seus joelhos tem q estar apontando para a ponta do pé. parece dificil, mas n é, vai fazendo e se corrigindo.
exercício 3: sumô. tu vai fazer 3 séries de 15 agachamentos. fez 15 agachamentos, descansa 45 segundos e parte para a outra série. obs.: a diferença desse para o agachamento livre é que suas pernas tem que estar bem mais abertas.
exercício 4: elevação lateral unilateral (ombro). tu vai fazer 3 séries de 12 repetições. fez 12 repetições, descansa 45 segundos e parte para a outra série. obs.: se vc tiver haltere aí faça com ele, se não tiver, faça sem. ou se quiser pegue algo com um peso relativamente a 3kg e faça o exercício. tem aluno meu fazendo em casa levantando uma caixinha de som q pesa 3kgs lol.
exercício 5: elevação frontal unilateral (ombro). tu vai fazer 3 séries de 12 repetições. fez 12 repetições, descansa 45 segundos e parte para a outra série. obs.: se vc tiver haltere aí faça com ele, se não tiver, faça sem. ou se quiser pegue algo com um peso relativamente a 3kg e faça o exercício. tem aluno meu fazendo em casa levantando uma caixinha de som q pesa 3kgs lol.
beba água durante o exercício. se vc for iniciante (nunca treinou) siga as repetições q passei. se vc ja treina e tem experiência faça as repetições q quiser.
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
terça-feira: aerobico + abdominais + panturrilha
exercicio 1: aerobico: polichinelos: 5 séries de 15 polichinelos. intervalo de descanso entre cada série: 25 segundos.
exercicio 2: abdominais: prancha com a palma da mao (EXCELENTE PARA A LOMBAR). ficar assim por 1 minuto. 3 séries tbm! intervalo de descanso entre cada série: 20 seg.
exercicio 3: abdominal tesoura: 3 séries de 15 repetições. 30 segundos de descanso entre cada série.
exercicio 4: panturrilha: panturrilha no chão (ESSENCIAL FAZER). 3 séries de 20 repetições.
beba água durante o exercício. se vc for iniciante (nunca treinou) siga as repetições q passei. se vc ja treina e tem experiência faça as repetições q quiser.
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
quarta-feira: membros inferiores +triceps + peito
exercicio 1: agachamento bulgaro . 3 séries de 8 (cada perna). intervalo de descanso entre cada série: 45 segundos. obs.: pra dar mais equilibrio, ou segure as maos de alguem na sua frente ou segure uma vassoura/rodo em pé, isso ajuda.
exercício 2: elevação pelvica . 3 séries de 12 repetições. intervalo de descanso entre cada serie: 45 segundos. esse exercício, na hora q vc SUBIR contraia com força os glúteos.
exercicio 3: flexão no chão para peito . 3 séries de 8 repetições. intervalo de descanso entre cada serie: 45 segundos.
exercicio 4: tríceps no banco . 3 séries de 8 repetições. intervalo de descanso entre cada série: 45 segundos.
exercicio 5: triceps frances . 3 séries de 9 repetições. intervalo de descanso entre cada série: 45 segundos. se n tiver haltere, pegue algo pesadinho aí e faça - mochila, panela pesada etc.
beba água durante o exercício. se vc for iniciante (nunca treinou) siga as repetições q passei. se vc ja treina e tem experiência faça as repetições q quiser.
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
quinta-feira: aerobico + panturrilha e abodminal
exercicio 1: pular corda durante 1 minuto sem parar. quem nao tiver corda (ou nao souber) faça de conta q está saltando uma corda saltando sem sair mto do chão. 3 séries de 1 minuto.
exercicio 2: prancha isometrica (EXCELENTE). ficar nessa posiçao por 30 segundos (se conseguir passar disso, MARAVILHA). fazer 4 séries. intervalo de descanso entre cada serie: 40 segundos.
exercicio 3: prancha dorsal(EXCELENTE). ficar nessa posição por 1 minuto. (se conseguir passar disso, MARAVILHA). fazer 4 séries. intervalo de descanso entre cada serie: 20 segundos.
exercicio 4: panturrilha: panturrilha no chão (ESSENCIAL FAZER). 3 séries de 22 repetições.
beba água durante o exercício. se vc for iniciante (nunca treinou) siga as repetições q passei. se vc ja treina e tem experiência faça as repetições q quiser.
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
sexta-feira: membros inferiores + biceps + costas
exercicio 1: edução do quadril . 3 séries de 12 repetições. intervalo de descanso entre as séries: 45 segundos.
exercicio 2: abdução da perna unilateral . 3 séries de 10 repetiçoes (cada perna). intervalo de descanso entre cada série: 45 segundos
exercicio 3: cadeirinha isometrica . ficar parado assim por 30 segundos - 3 séries, intervalor de descanso entre as séries: 45 segundos.
exercicio 4: flexao com as maos juntas . 3 séries de 8 repetições. intervalo de descanso entre cada série: 45 segundos
exercicio 5: "serrote" 3 séries de 8 repetições. intervalo de descanso entre cada série: 45 segundos. obs.: pegar algo com peso e fazer (bolsa com algo dentro, panela etc).
exercicio 6: rosca direta UNILATERAL OBS.: no video é bilateral, mas faça unilateral (um lado de cada vez). 3 séries de 8 repetições. intervalo de descanso entre cada série: 45 segundos. obs.: pegar algo com peso e fazer (bolsa com algo dentro, panela etc).
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
importante ressaltar: o que conta nem sempre é o peso, mas sim a execução perfeita. Ok?
"OP, nao vou fazer etc". mano, tenta, se tranca no seu quarto aí, poe uma musica dahora bem alto q vc vai fazer o trem fluir. faça pelo menos as panturrilhas e os abdominais, isso vai salvar sua lombar. faz com a esposa ou filhos (12 anos pra cima, ok?), os mais novos q isso coloquem pra fazer polichinelo e pular corta e as pranchas.
qualquer duvida, mandem aí.
e espero q vcs façam, que gostem e que ajudem vocês. abraços!
gente só um edit aqui: no outro dia pode dar dores (eh normal). não toma remédio pra dor não pq vc vai perder tudo q vc fez - faz massagem, ou toma banho na água quente MAS NÃO TOMEM REMÉDIOS! eh normal as dores pq seu músculo estará se regenerando 🙌🏾. uma dica: faça alongamentos após os exercícios (É APÓS, E NÃO ANTES), faça aqueles básicos convencionais sabe? pras pernas, braços etc. Faça outros se quiser tbm. atenção agora: tempo mínimo de alongamento por membro é UM MINUTO - nao é 15 segundos não, é UM MINUTO. então alonguem-se dps heim. Qlqr dúvida, chama ae
submitted by CleverSleazoid_ to brasil [link] [comments]


2020.03.06 19:35 Roger_Peterson Quem você convocaria no lugar de Thiago Silva e Daniel Alves?

Pois é galera, saiu a lista de convocados das Eliminatórias. Considerando que é em preparação pra Copa de 2022, é uma burrice descomunal convocar dois caras que vão estar quase fazendo quarenta anos quando a copa começar, quem dirá um que nem na posição que foi convocado joga mais.
Mas a pergunta difícil é: quem vocês convocariam no lugar desses dois?
Pessoalmente, eu acho que eu ia de Diego Carlos (do Sevilla) e Emerson (do Real Betis), respectivamente. Pra mim, a zaga titular da seleção deveria ser o Felipe do Athletico de Madrid e o Marquinhos do PSG, então o Diego Carlos vai como reserva, mesmo sendo um zagueiraço e uma ótima opção.
O Emerson ia pra ser titular mesmo, considerando a deficiência que a gente tem na área e o fato de que se não o titular ia ser a porra do Danilo. Se eu não me engano, o Emerson é o melhor lateral direito da La Liga nas estatísticas, e isso jogando pelo Betis, o que por si só é impressionante.
E mais um adendo, eu ia levar o Neto do Barcelona pra ser um dos goleiros, talvez por um pouco de clubismo, mas eu gosto pacas do jeito que ele joga (jogava, agora que tá esquentando banco pro Ter Stegen). E vocês?
submitted by Roger_Peterson to futebol [link] [comments]


2020.03.05 15:53 manguito86 FC Porto obrigado a dezenas de milhões em mais-valias. As semelhanças (e as diferenças) com o cenário em 2016

https://observador.pt/2020/03/05/fc-porto-obrigado-a-dezenas-de-milhoes-em-mais-valias-as-semelhancas-e-as-diferencas-com-o-cenario-em-2016/

FC Porto está obrigado a fazer mais de 78 milhões de euros em mais-valias, caso queira evitar uma intervenção da UEFA por causa do "fair play" financeiro. O cenário atual tem semelhanças com 2016.



A corrida à liderança no Futebol Clube do Porto já começou e das críticas já ouvidas à administração de Pinto da Costa fica uma certeza: as contas da SAD vão estar no centro do debate.

A partir do momento em que o Futebol Clube do Porto decidiu não vender jogadores no mercado de inverno, depois de ter falhado os milhões da Champions (50 milhões de euros no mínimo), tornou-se inevitável um saldo negativo no final do primeiro semestre. Só que a dimensão do buraco financeiro apresentado pela administração do FCP, de 52 milhões de euros, fez disparar os alarmes nos adeptos portistas, em vésperas de eleições para a liderança do clube.

As semelhanças e as diferenças com o passado recente

A SAD do Futebol Clube do Porto acumulou nos dois exercícios anteriores um total de 19 milhões de euros de prejuízo (saldo negativo de 28,4 milhões, em 2017/18; e positivo de 9,5 milhões, em 2018/19). Esta época, teria, por isso de apresentar lucros de 19 milhões de euros para ter “break even” (saldo zero) no final de cada três anos, como exige a UEFA, ou 14 milhões (tendo em conta o desvio de 5 milhões de euros admitido pela autoridade do futebol europeu).

As regras do fair play financeiro — que obrigam os clubes a não gastarem mais do que as receitas que geram e a não terem pagamentos em atraso a trabalhadores e outros clubes — admitem, no entanto, um desvio adicional, que pode ir até aos 30 milhões de euros, se o clube ou algum outro acionista injetar essas verbas na SAD. É certo também que para atingir esses valores há algumas rubricas que não contam. A UEFA deixa de fora, nomeadamente, os ganhos e perdas com alguns ativos (que não jogadores).

Num passado recente, quando se aproximou do limite, a SAD portista acabou por não evitar a intervenção da UEFA. Em 2013/14, apresentou 40,7 milhões de euros em prejuízos, compensados em parte pelos lucros de 19,9 milhões de euros de 2014/15. O saldo acumulado das duas épocas foi, por isso, negativo em 20,7 milhões de euros.

Até aqui não há grandes diferenças na comparação com os números das duas últimas épocas. O que muda são os prejuízos seguintes. Ao contrário desta época — em que o FCP SAD apresentou 51,8 milhões de euros de prejuízo no primeiro semestre —, em 2015/2016, no mesmo período, o resultado negativo foi de menor dimensão, atingindo 17,6 milhões.

Nessa época, que coincide com o tri-campeonato do Benfica, o FCP acabaria com 58,4 milhões de prejuízo (e um total de 79 milhões no conjunto das três épocas), tornando inevitável a intervenção das autoridades do futebol europeu.

O caminho para evitar essa intervenção passará, como já se sabia, pela venda de jogadores. Quando, em outubro, apresentou o orçamento da SAD para esta época, a administração da SAD do FCP tinha previsto lucros marginais, de 150 mil euros, contando com a contribuição de 77,9 milhões de euros em mais-valias na transferência de jogadores. Resta saber agora quanto dinheiro mais será necessário, tendo em conta a dimensão dos prejuízos do primeiro semestre.

Entre compras e vendas, tem sido noticiada a necessidade de encaixar 100 milhões de euros, mas no relatório do primeiro semestre o FCP não adianta valores, embora volte a reconhecer o problema: “Apesar do resultado apresentado ao semestre não permitir a estimativa de fecho das contas anuais, devido à sazonalidade que se verifica no registo de diversos custos e proveitos, perspetiva-se a necessidade de efetuar um valor considerável de mais-valias de transferências para que a Sociedade consiga atingir um resultado positivo no final da época”.


Alex Telles e Fábio Silva entre os ativos mais apetecíveis

Antes de atacar a atual época, o FCP precisou de colmatar uma série de saídas da época anterior, muitas delas a preço zero, em final de contrato: Brahimi e Herrera, os mais valiosos, mas também os dispensados Adrián Lopez, Fabiano, Hernâni e Maxi Pereira (no total estes jogadores tinham custado 39 milhões de euros ao FCP).

Pressionado pela necessidade de entrar na Liga dos Campeões, a administração do FCP deu a Sérgio Conceição vários jogadores experientes a valores que normalmente a SAD só pagaria por jogadores mais jovens (com mais margem para gerar mais-valias futuras).

Segundo o Transfermarkt, site especializado em transferências, das 25 compras mais caras de sempre no Porto, apenas quatro chegaram com mais de 25 anos — e três deles vieram este verão: Uribe (85% do passe) e Zé Luís, ambos com 28 anos e a valerem cerca de 9 milhões de euros; e Marchesin, com 31 anos, custou 7 milhões. O quarto jogador tinha sido Adrien Lopez, que chegou ao FCP com 26 anos, em 2014/15.



Juntaram-se ainda esta época o regressado Marcano (4 milhões de euros), que tinha saído a custo zero; Nakajima (apenas 50% do passe, por 11 milhões de euros) e o jovem Luís Díaz (80% do passe, por 8,9 milhões). No total, 52 milhões de euros, a que se juntam perto de 7 milhões dos habituais encargos com a aquisição de jogadores.

Em janeiro, o FCP decidiu não vender nem estes nem outros jogadores para poder atacar o título — e os milhões da Champions que poderão daí advir —, mas agravou um problema que terá de ser resolvido até 30 de junho, sob pena de cair outra vez na teia da UEFA.

Entre as opções mais fortes para venda estão Alex Telles, que, segundo o Transfermarkt, é o jogador mais valioso do plantel (40 milhões de euros de avaliação e o mesmo valor em cláusula de rescisão), embora esteja a pouco mais de um ano do fim de contrato. O facto de ainda não ter renovado pressionará o FCP a vendê-lo na próxima janela de transferências (e potencialmente com desconto), caso não queira repetir as saídas em final de contrato dos anos anteriores. No caso de Alex Telles, há que referir ainda que o Galatasaray, a quem o FCP comprou o passe em 2016, tem direito a 10% do valor da próxima venda.

Danilo (30 milhões de euros, mas que esteve boa parte da época lesionado), Jesus Corona (25 milhões de euros, que foi adaptado com sucesso a lateral direito) e Marega (24 milhões) estão também entre os mais valiosos. Seguem-se Nakajima (20 milhões), Otávio (17 milhões), Luís Díaz (11 milhões), e Tiquinho Soares, Zé Luís e Uribe (todos a 10 milhões).


Há ainda os jovens Fábio Silva (10 milhões de euros) e Romário Baró (9 milhões), cujo potencial de rentabilização será em princípio maior se forem transferidos em épocas seguintes.

Fábio Silva, por exemplo, tem apenas 753 minutos (e 3 golos) em todas as competições pela equipa principal. Para comparação — num jogador da mesma posição e do mesmo clube —, André Silva, quando saiu do Porto por 45 milhões de euros, em 2016/17, acumulava 4.200 minutos em época e meia, tendo marcado um total de 24 golos, incluindo 4 na Liga dos Campeões.

Tinha também, por outro lado, três anos mais do que os 18 anos que Fábio Silva fará na próxima janela de transferências — o que é relevante, tendo em conta que o mercado está cada vez mais “louco” por promessas sub-20.
Quanto dinheiro em mais-valias?

Na discussão sobre os valores das mais-valias de transferências é necessário sublinhar que não coincidem necessariamente com o preço a que os jogadores são vendidos. As mais-valias descontam não só percentagens do passe detidos por terceiros — como clubes ou os próprios jogadores (no caso de Oliver, por exemplo, o Porto não detinha 15% do passe) —, mas também, entre outros, o valor contabilístico do jogador aquando da venda.

No momento em que é adquirido, o passe de um jogador (ou melhor, a parte detida pela SAD) faz aumentar os ativos no exato valor de compra. Mas o valor contabilístico não se mantém intacto ao longo dos anos — como qualquer investimento, vai desvalorizando de forma proporcional enquanto durar o contrato. Por exemplo: o passe de um jogador que tenha custado 10 milhões de euros, num contrato assinado a 5 cinco anos, vai desvalorizando 2 milhões de euros por ano.

Sendo mais concretos: se Alex Telles (de quem o FCP tem a totalidade do passe) for vendido no final desta época por 30 milhões de euros, as mais-valias descontam desde logo 1,3 milhões de euros que, por esta altura, valerá o passe do lateral esquerdo em termos contabilísticos — foi comprado a 6,5 milhões de euros, mas em junho terá uma desvalorização acumulada de 4 anos.

Diferente é a circunstância da generalidade dos jogadores da formação, em que, no momento da transferência, não há normalmente lugar a descontos do valor contabilístico. Simplesmente, porque não tendo um custo de compra associado, valem zero nas contas. Ruben Neves, Diogo Dalot, Rui Patrício ou João Félix tinham todos um valor nulo ou residual nas contas dos respetivos clubes.

É, aliás, um fator de subvalorização crescente dos ativos nos principais clubes portugueses, que, cada vez mais, contam com jogadores da “cantera” nas equipas principais. Fábio Silva, Romário Baró e Vítor Ferreira — como Ruben Dias, Ferro, Jota e Tomás Tavares no Benfica ou Jovane Cabral, Miguel Luís e Maximiano no Sporting — não acrescentam valor aos ativos das respetivas SAD.

As mais-valias descontam ainda prémios de desempenho que estejam por liquidar ao jogador, e outros fatores (como o efeito de atualização financeira das contas a receber a médio prazo) que, em conjunto, deixam os adeptos de futebol com a sensação de que o ganho pelas transferências não é tão elevado quanto se esperava — pelo menos, quando se anunciam as mais-valias geradas e não o valor da venda.

Ou seja, a não ser que estivesse preparado para vender apenas jogadores da formação do clube, quando o FCP avançou em novembro com a necessidade de 77 milhões de euros em mais-valias não se referia a 77 milhões de euros em vendas. O valor de vendas em perspetiva (não revelado pelo FCP) teria de ser maior.

Quanto? As contas do primeiro semestre deixam perceber que o cenário não é favorável, mas ainda será cedo para perceber qual será o resultado final desta época sem transferências. Por exemplo: quanto dinheiro terá o Porto de distribuir a jogadores em prémios de desempenho se for campeão nacional? A dimensão dos prejuízos esta época dependerá da resposta a esta e outras dúvidas. O que parece certo, no entanto, é que o plantel do FCP promete, mais uma vez, uma pequena revolução na próxima época.
submitted by manguito86 to fcporto [link] [comments]


2020.02.15 02:28 carretinha O padre e A Baronesa

Em uma aldeia havia um padre conhecido pela sua piedade com os monstros. Possuídos de todos os lugares viajavam até a pequena aldeia para serem curados de seus demônios. O padre atendia em uma pequena igreja, sem bancos, feita de madeira, pintada de branco, que era quente demais no verão e fria demais no inverno. A simplicidade das instalações não incomodava aquele sujeito humilde, porém a Baronesa se contorcia de ver um servo de Deus trabalhar num lugar tão mal cuidado. Claro, isso não seria um problema se Ela não tivesse que ‘visitá-lo’ toda dia de missa.
A Baronesa, dona daquelas terras e outras na região, tentava emplacar seus novos produtos no mercado. Máquinas como o mundo nunca tinha visto, criaturas metálicas espertas, programadas para todo tipo de tarefas: limpeza, construção, cuidado com as crianças, vigilância dos escravos, mordomos e tudo mais que o cliente pudesse imaginar. Mas o povo, pobre de conhecimento e ainda mais pobre de dinheiro, olhava para as máquinas com desconfiança, viam em seus olhos amarelos e iluminados motivações ocultas e sombrias. A Baronesa, sabia o que o povo pensava de suas construções e se surpreenderia se fosse diferente.
“Esses ignorantes e imbecis, não compreendem os avanços da tecnologia! Mas de que adianta? Ainda que entendessem, nada poderiam fazer! Essa gentalha não consegue manter uma moeda no bolso. Oh, imagine! Nem que juntassem todos os pobretões de todas as aldeias da região, não conseguiram comprar um peça das minhas maravilhosas máquinas.”
O que a surpreendia era a reação dos seus pares, os sofisticados baroneses, duques e nobres, que rejeitavam com igual força suas ideias sobre a modernidade.
“Minha querida Baronesa, a senhora possui tantas terras boas, devia focar em cultivá-las ao invés de construir essas criaturas de metal.”
Para impressionar a nobreza, encontrar possíveis compradores ou pelo menos alguém que a apoiasse, a Baronesa gastava partes enormes da sua interminável fortuna com festas e mais festas. Onde as máquinas serviam, cozinhavam, faziam segurança e entretinham os convidados, sem parar, sem reclamar e sem se cansar.
No entanto os barões, duques e nobres não pareciam impressionados e tratavam com profunda indiferença as maravilhas da tecnologia. Num mundo iluminado por velas, onde moinhos de água tinham acabado de ser inventados, tais criaturas metálicas pareciam apenas uma alegoria festiva, um enfeite, algo que está ali por estar e ao mesmo tempo não existe, uma mistura estranha entre personagens bizarros de circo e mendigos de rua.
Foi durante uma missa, num dia extraordinariamente quente, agravado pelas instalações da igreja; no meio da aglomeração do povo, que se agregava mais próximo do altar para acompanhar mais um exorcismo e cura de um monstro; onde a nossa querida Baronesa se sentia absolutamente desconfortável; que Ela teve a ideia de que
“Se meus pares fecham os olhos para as modernidades, a igreja há de abri-los.”
Foi assim que irrompeu um grito pedindo atenção. O povo, até então atento a cura, voltou-se para Ela. Até o monstro sobre o altar se virou. O único que não se mexeu foi o padre, pois aquele era o momento mais crucial do exorcismo, se ele saísse do transe a alma daquela pessoa poderia se perder para sempre.
“Senhoras e senhores, desculpe-me interromper o espetáculo que é a cura divina! Todavia preciso anunciar para todos vocês, que depois de tantos anos que passamos neste lugar caindo aos pedaços, finalmente teremos uma nova igreja! A doação, claro, será feita do meu próprio bolso e construída com minhas próprias máquinas, de modo que todos só tem a ganhar.”
O povo que desconfiava no começo da fala, sorriu ao ouvir ‘do meu próprio bolso’. Mas logo fechou a cara novamente, ao ouvir ‘com minhas próprias máquinas’. Afinal, se não fossem por essas malditas criaturas de metal, os pedreiros teriam algum trabalho e receberiam o suficiente pra gastar no bar, no verdureiro e na peixaria; que faria com que a dona do bar, a moça das verduras e os pescadores tivessem mais dinheiro pra gastar no padeiro, no alfaiate e no ferreiro; e assim, sucessivamente. De modo que o pouco dinheiro pago aos pedreiros passasse pela mão de todos na aldeia, em seguida na mão de todos das aldeias vizinhas, até enfim ser pego por cobradores de impostos e finalmente se perder dentro do cofre de algum nobre.
Apesar da decepção, o ânimo geral foi positivo. Afinal uma igreja nova ainda era melhor que nada. E embora duvidassem das intenções da Baronesa e de suas criações, jamais duvidariam de sua Fé, que alegavam ser a maior entre todo povo comum. Boatos passados de boca em boca diziam até que Ela era capaz de realizar milagres, mas claro que não passavam de boatos.
Entretanto por mais fervorosa que fosse a Baronesa, a ponto de sair da sua confortável mansão no topo do Monte; descer a pé todo o morro; atravessar o rio; subir a colina onde estava a igreja; e fazer o caminho de volta todas as vezes que ia à missa, Ela ainda questionava certas ações do padre. A Baronesa, assim como todos ‘cidadãos de bem’, defendia que os monstros não deveriam ser curados, muito pelo contrário, deveriam ser caçados e mortos pelos crimes que cometeram contra Deus, pois ‘os crimes contra Deus’ eram a única explicação para tem se transformado. Isso se não tiverem matado gado, ou estripado alguém depois que assumiram a sua forma monstruosa.
Após o anúncio ninguém mais assistia o exorcismo e para o padre isso não fazia diferença, na verdade era até melhor. Não gostava de fazer os exorcismos em cima do altar ou em público, se o fazia daquela forma era por dois motivos: O primeiro, era literalmente por pressão popular, porque uma vez o povo quase quebrou a porta dos fundos da igreja enquanto tentavam espiar um ritual. E o segundo, porque aquela era uma boa forma de divulgar seu trabalho e atrair aqueles que precisam de cura. Portanto apenas um exorcismo era feito em público e só no final da missa, se ainda houvesse outros possuídos a serem curados eles seriam atendidos na parte de trás da igreja, quase em segredo.
Só depois que o demônio foi expurgado e finalmente o monstro pode olhar no espelho e ver a pessoa que era, que o padre abandonou o transe e a concentração no trabalho. E não demorou muito a saber da novidade através dos cochichos e conversas que corriam por toda assembléia:
“Onde ficará a nova igreja?”
“Será que vão derrubar essa daqui?”
“Tomara que tenha uma torre do sino!”
“Espero que não seja em cima do morro.”
“Ia ser lindo se fosse em cima do rio!”
Assim que pescou informação o suficiente sobre a construção da nova igreja, foi imediatamente contra. Jamais um único fiel deveria ser responsável pelo dinheiro e construção do templo, porque
“Um templo, assim como a Fé, deve ser uma construção conjunta. Feita pela dedicação e amor das pessoas e não por ganhos materiais ou glória pessoal. O marceneiro deveria trabalhar a madeira que o lenhador cortou e doou, para que os ajudantes usem os pregos que sobraram da construção de suas casas, para pregar juntas as tábuas. Todos trabalhando juntos, sem ninguém cobrar a ninguém, cada um fazendo e doando de acordo com o que pode e tem!”
“É assim que deveria ser construído um templo! E foi assim que foi feita essa capela.”
Esperou a multidão se dispersar e foi conversar com a Baronesa, que por sua vez estava ansiosa para contar os detalhes da obra.
“Eu agradeço sua oferta minha querida, mas um templo assim como a Fé deve ser uma constr...”
“Desculpe senhor padre, porém acredito que alguém mais competente deveria tomar a decisão. Passados mais alguns anos ou uma praga de cupins e esse lugar vem abaixo! Além disso o povo clama por um lugar mais confortável! Já lhe aviso: se o senhor insistir em recusar minha proposta, enviarei a oferta ao bispo.”
“QUE ENVIE ENTÃO! Mas saiba que nunca estarei de acordo com um templo feito tão mundanamente!”
Foi uma discussão acalorada, contudo não foi nem a primeira, nem a mais tensa delas. O padre e a Baronesa tiveram várias discussões em torno da Fé, da organização da aldeia, das leis e de outros vários assuntos. Mantinham ao mesmo tempo um profundo respeito e um certo desafeto um pelo outro, mas nunca rancor.
O padre achava que as ideias da Baronesa eram afastadas demais da comunidade e pouco preocupadas com a benevolência, apesar de estarem de acordo com as palavras de Deus. Para a Baronesa, as ideias do padre eram sempre ideológicas demais e pouco práticas, apesar de estarem de acordo com as palavras de Deus. E como era a concordância com as palavras de Deus que decidia quais eram as melhores ideias, eles não tinham critério de desempate. Costumeiramente, o padre ganhava as discussões, por ter uma posição mais próxima de Deus, mas as coisas costumavam ser feitas ao modo da Baronesa, por ter uma posição mais próxima do Governador.
No fim, o projeto foi enviado ao bispo que o aceitou imediatamente, formando uma comissão de bispos para abençoar o local da nova igreja e os objetos santos.
A planta da igreja, também incluía uma área no subsolo que seria a nova casa do padre. Ele, até então, morava num pequeno quartinho de teto baixo, na parte de trás da capela, dormia num colchão fino colocado sobre o chão, que fora presente do pescador. O cômodo também possuía ainda um fogão a lenha, montado pelo ferreiro. O banco e a mesinha onde o padre realizava seus estudos, ambos bambos, eram peças defeituosas doadas pelo marceneiro e um pouco mais afastado havia uma fossa com cabine, feitas pelo próprio padre, onde ele fazia suas necessidades.
A Baronesa foi rápida para mostrar serviço, e assim que abençoaram o local as máquinas deram início a construção. Os bispos ficaram encantados com a forma que aquelas criaturinhas de metal trabalhavam, tão encantados que se sentaram num ‘acampamento de obras’, montado pela Baronesa, para assistir a construção. Quando anoiteceu, a casa do padre já tinha o piso e todas as paredes. Logo antes de se retirarem para dormir os bispos perguntaram a Baronesa:
“Suas construções não vão descansar?”
“Ah, senhor bispo, não se preocupe, elas não precisam disso, podem trabalhar por dias seguidos. Inclusive, garanto aos senhores que a igreja estará de pé e decorada antes do dia de missa.”
Os bispos se surpreenderam com a promessa. Uma igreja como aquela demoraria ao menos três meses para ser construída por mãos humanas, se essas fossem mãos de pedreiros experientes talvez dois e meio. Porque a Baronesa falou muito bem delas, os bispos esperavam que as máquinas fizessem em um mês, tanto que a maioria deles tinha planejado ir embora no dia seguinte, menos o bispo responsável pela região que faria a primeira missa e o batismo da igreja. Contudo já que a Baronesa prometeu uma entrega tão rápida, todos resolveram esperar para realizar uma grande missa de batismo.
***
As máquinas trabalharam durante toda a noite. Elas têm a forma que melhor condiz com o seu trabalho. Sim, porque diferente das obras feitas por pedreiros, onde cada um faz um pouco de tudo, as máquinas possuem uma função específica, então necessitam de um corpo específico. Enquanto uma passa o cimento, a outra coloca os tijolos; uma ajuda a secar o cimento e, ao mesmo tempo, outra passa a massa onde o cimento já secou; uma é responsável por ajudar a secar a massa e a outra por pintar onde a massa já secou; algumas ajudam a levantar aquelas que trabalham em andares mais altos; sem falar na batedora de pregos, nas carregadoras, nas colocadoras de móveis e decoração, etc. Tudo isso é perfeitamente sincronizado, para que não se pinte onde a massa está molhada; não se pise onde o piso ainda não assentou; ou para não secar o cimento antes de colocar os tijolos.
Todavia diferente de um relógio, que para funcionar depende de todas suas engrenagens perfeitamente encaixadas, nos lugares e tempos específicos, tais criaturas trabalham de modo tão sincronizado porque se comunicam. Sim, e se comunicam de uma forma parecida, mas ao mesmo tempo muito diferente daquela dos humanos. Sua precisa e avançada ‘fala’ é composta por vários sons de *beep*, e cada máquina tem um *beep* de tom e altura diferentes. Durante a execução de uma tarefa elas ‘falam’ de forma incessante, para alertar umas às outras de suas ações, logo todas precisam conhecer a ‘voz’ uma das outras, a fim de ter uma noção sobre ‘o que ocorre onde’ na execução da tarefa.
Contudo não só na linguagem elas lembram os humanos, elas pensam, tem sentimentos, personalidades, gostam de certas máquinas e desgostam de outras. Apesar de serem fisicamente iguais e pintadas do mesmo jeito, o colocador de tijolos 36579 é alegre e festivo, enquanto o 85479 é introspectivo e silencioso, isso fica evidente em seus movimentos e também no tom e frequência de seus *beeps*. Um humano até poderia perceber isso, se pudesse observá-los atentamente durante dias, no entanto para as máquinas a diferença de personalidade entre eles é gritante. Claro, a personalidade deles pode até fazer com que ajam de forma diferente, mas de modo algum isso afeta seu trabalho, pois apesar de mover o braço um pouco mais e se agitar de vez em quando, o 36579 precisou colocar os tijolos da mesma forma e ao mesmo tempo que o 85479, para que as paredes ficassem prontas juntas.
Um humano provavelmente se sentiria desconfortável de ter que trabalhar de forma tão mecânica, sem poder imprimir sua personalidade, sua ‘marca’ no trabalho. Só que essa é a beleza para as máquinas, elas adoram ser todas diferentes e ainda assim trabalhar de jeito igual. O sincronismo as deixam felizes. Trabalhar para elas não é muito diferente de uma dança, uma dança num mundo onde todos são exímios dançarinos.
E naquele dia participaram de seu grande baile, que se estendeu por toda noite, quando tiveram de cochichar, mantendo seus *beeps* baixinhos para não acordar as pessoas humanas. Com a chegada da manhã seguinte, dançaram novamente sob o dia, cantando *beeps* mais altos, porque os humanos faziam muito barulho. E dançaram, trabalham, cantaram e cochicharam durante os dias que vieram, até que…
***
Na manhã do ‘dia “antes do dia de missa”’ a igreja estava pronta. Era grande, definitivamente maior que a velha capela. Ainda não chegava aos pés de uma catedral, porém tinha os tijolos mais bem colocados, as paredes mais bem niveladas, os únicos bancos posicionados com precisão milimétrica e um altar perfeitamente arrumado, com os todos utensílios alinhados, prontos para o início da missa.
As máquinas, orgulhosas do seu trabalho, se retiraram e aguardaram, ao lado da igreja, o despertar da Baronesa. Dispuseram-se em fileiras organizadas por função e aproveitaram o tempo de espera para conversar. Demoraram apenas 12 segundos para discutir profundamente sobre os mais variados assuntos, a comunicação delas era realmente muito eficaz. Nesse pequeno intervalo de tempo conversaram sobre: como os humanos eram estranhos, como gostaram de finalmente fazer um trabalho fora da mansão, teorizaram sobre os pássaros que cantavam na manhã, flertaram, fizeram novas amizades, planos para os próximos trabalhos, etc. Depois ficaram paradas. As mais afobadas tremiam de levinho, ansiosas para que sua Mestra dessem-lhes mais ordens, afinal gostavam muito de trabalhar.
A aldeia inteira, e boa parte das vizinhas, estava presente para a missa, que foi coordenada sobretudo pelo bispo regional, contando com as participações pontuais e diversas bênçãos dos bispos das outras regiões. Finalmente, depois de anos à frente do altar, o padre podia assistir uma missa como simples fiel e isso trazia-o boas lembranças.
Ao final da missa, e antes de conhecer sua nova casa, o padre perguntou a Baronesa se Ela havia construído um lugar para realizar a cura dos possuídos. Ela disse que não, que havia esquecido, mas os dois sabiam que o ‘esquecimento’ era proposital. Era mais provável que ela tivesse construído um abatedouro do que um lugar de cura.
“Se não construiu não há problema, eu os receberei na minha casa então.”
Em sinal de respeito, a Baronesa presenteou o padre com uma máquina ajudante, que ele só aceitou depois de muita relutância.
“Senhor padre, faça o favor de aceitá-lo, o senhor bem sabe é um tremendo desrespeito cometer a desfeita de rejeitar um presente.”
O ajudante foi instruído por sua Mestra a apresentar a casa ao padre, que levou alguns amigos e o bispo da região consigo. Desceram a escada atrás do altar, que levava à casa. Tudo tinha sido construído e organizado nos padrões mais modernos, o padre, que era um sujeito simples, não gostou da casa de primeira, desconfiava do estranho vaso de porcelana com água dentro, que ficava onde o ajudante disse ser o banheiro. Julgava que aquilo tinha intenções malignas.
Na verdade várias coisas na casa pareciam ‘erradas’, as velas nos candelabros nunca apagavam, a casa estava fresca demais para uma casa no subsolo e havia sempre uma brisa vinda de algum lugar. No final da visita, encontraram várias escotilhas bem discretas, por onde entravam ar e luz. A Baronesa podia não gostar do padre, mas queria que a casa fosse o mais funcional possível. Porém foi só depois de abençoar a casa mais de 15 vezes e finalmente descobrir como funcionava o vaso de porcelana que o padre se livrou de um certo ‘sentimento ruim’.
O ajudante era muito útil. Ele ajudava a preparar a missa, limpava a casa e a igreja, preparava comida e fazia companhia pro padre nas madrugadas. E apesar de achar estranho no começo, o padre foi, aos poucos, se acostumando com a natureza daquele ser flutuante com uma grande lâmpada amarela no meio do rosto. A máquina se auto denominava ‘Ajudante 2047’, tinha uma personalidade extrovertida e adorava falar. Isso incomodava a Baronesa que estava prestes a tirar-lhe o modulador de voz, quando teve a ideia de dá-lo ao padre. Nada poderia tê-lo deixado mais feliz! O padre era quieto e gostava de ouvir as pessoas, então tratava o ajudante com paciência, até quando ele falava demais, o que na opinião do padre não acontecia com tanta frequência, afinal a comunicação dele era estranhamente… eficaz. A maior parte das conversas eram sobre as pessoas. Apesar de nunca falar diretamente com elas, o Ajudante 2047 adorava ver seu comportamento estranho e ficava sempre ansioso para interagir, contudo toda vez que se aproximava de alguém a pessoa se afastava, às vezes com um olhar de repúdio, às vezes com um olhar de medo, mas na maior parte das vezes com uma mistura dos dois. No dia seguinte, o padre teria que encontrar e explicar para a pessoa que o ajudante não faria-lhe nenhum mal. Todavia mesmo com tantas explicações as pessoas ainda evitavam-no, então contentava-se em observá-las.
Agora que não precisava fazer todo trabalho da casa e igreja sozinho, o padre era mais visto do lado de fora, onde ajudava qualquer um que precisasse e não cobrava nada em troca, pedia apenas que comparecessem à missa. Vivendo assim, o padre e o Ajudante ajudaram-se mutuamente e logo isso virou a vida ‘normal’.
Com a reforma a igreja ficou mais famosa e a fila de possuídos cresceu, indo muitas vezes da sala da casa do padre até a entrada da igreja. Ao atender um enfermo, primeiro ele tinha de escutar suas confissões, em seguida concedia-lhes perdão e só depois fazia a oração de expurgo, para livrar-lhes. Alguns viam os sintomas da possessão desaparecem imediatamente, deixando cair qualquer escama, pêlo ou pedaço de pedra que, porventura, vieram a crescer; outros só melhoravam com o passar dos dias, mas seus sintomas iam embora sem deixar qualquer evidência. Os primeiros a serem atendidos eram aqueles que estavam em situação mais grave, ou seja, aqueles prestes a completar a transformação e perder o controle. Destes, alguns eram atendidos antes do final da missa, outros no lugar que estavam assim que fila se formava. Licantropia, glutanismo, petrificação, harpeismo e duplicismo eram os casos mais comuns, mas havia uma infinidade de outras possessões.
Um dia houve uma discussão sobre quem construiria a nova ponte sobre o rio, a Baronesa logo ofereceu suas máquinas, em troca, claro, de uma pequena contribuição da população. Já o povo queria que o marceneiro e o pedreiro fizessem a ponte. O padre, como sempre, tomou o lado do povo, pois sabia que se deixasse a construção nas mãos da Baronesa e suas máquinas o dinheiro jamais sairia dos cofres dela. Quando mandaram o impasse para o Governador, todos temiam que a Baronesa fosse ganhar, então o padre arquitetou um plano: avisou todos na aldeia, de modo que a Baronesa não ficasse sabendo, que seria feita uma missa importante no ‘dia depois do próximo dia de missa’. Durante essa missa ‘escondida’ eles arrecadariam os fundos para a ponte, que deveria ser construída antes que chegasse a ordem do governador. Assim, quando a Baronesa descesse de sua mansão no ‘dia de missa’ a ponte estaria pronta e o dinheiro continuaria entre o povo.
“Sei, senhor bispo, que este não é o plano mais honesto, mas o povo não aguenta mais entregar suas moedas à quem nunca às retorna.”
Confessou o padre, em lágrimas. O bispo apiedou-se do homem e respondeu-lhe que aquela devia ser a vontade de Deus, portanto não haveria castigo.
A Baronesa trabalhava em suas máquinas na varanda da mansão quando viu uma aglomeração na frente da igreja. Era normal que houvesse ‘missas depois do dia de missa’, Ela própria ia às vezes, o estranho era estar tão cheia. Pensou um tempo sobre o assunto, perguntou-se se havia esquecido alguma data especial, até que se lembrou da discussão e conjecturou que aquilo só poderia ser um plano do padre. Com pressa, desceu pela primeira vez o morro com suas roupas de trabalho, tomaria-a muito tempo colocar as roupas chiques, que costumava usar quando descia ao povoado. Andava rápido, porém o caminho era longo e ela só chegaria ao final da missa, mas talvez, a tempo de frustrar os planos do padre.
O padre que havia organizado a missa do lado de fora, exatamente para que pudesse ver o abrir e fechar do portão da mansão, acelerou a missa e conseguiu recolher o dinheiro antes que ela atravessasse o rio. Aflito, disse que não haveriam exorcismos públicos e que aqueles que necessitassem de ajuda deveriam procurá-lo em sua residência.
Neste dia havia um homem, que estava acompanhado de uma enorme criatura envolta num manto negro. O povo sabia que aquilo só podia ser um monstro em estágio final de transformação. A criatura era a esposa do homem e tinha sido possuída por um demônio glutão. Ao ouvir que deveria esperar ainda mais para ser curada, ela perdeu o controle, deixando-se levar pelos pensamentos sombrios que a atormentavam. Ficou furiosa, arrancou a capa que cobria o corpo e o rosto, e respondendo respondendo aos protestos do marido, que implorava para ela colocar o pano de volta , vociferou:
“Estou cansada! Estou com fome!”
O monstro era terrível, gordo, sem pelos ou cabelo, tinha horríveis bolas de pus amarelado, que se espalhavam como furúnculos por todo o corpo. Seu rosto era completamente deformado, a ausência de lábios fazia com que seus dentes e gengiva ficassem totalmente expostos. Porém a pior parte era a carne e pele que faltavam na lateral direita do torço, fazendo com que as costelas ficassem de fora e que fosse possível ver alguns dos órgão internos da criatura, mas o pedaço não parecia ter sido arrancado, não, pelo contrário, estava em formação. A carne borbulhava e parecia crescer muito lentamente, desejando cobrir as vísceras e formar o braço que faltava.
A criatura começou a andar em direção ao altar. As pessoas assistiam a cena paralisadas, em choque, horrorizadas. Ao dar o segundo passo, ela esbarrou no homem do casal à frente. O resultado fez com que o pânico tomasse conta do público, que finalmente disparou a correr em todas as direções. Primeiro, o homem ficou preso, depois seu corpo foi sendo pouco a pouco absorvido pela carne do monstro, e na medida que ia sendo ‘incorporado’ o lado direito do monstro enchia-se de carne, pele e bolhas de pus. A esposa do homem até fez um esforço para salvá-lo, mas ao ver a carne sendo derretida e sugada, vomitou e caiu para trás, para, em seguida, sair se arrastando de costas pro chão, incapaz de desgrudar o olhar do horror que acontecia em sua frente. Por sorte, o monstro a ignorou, seu olhar, faminto e furioso, dirigia-se para o padre, que preparava uma oração desde que este havia tirado o manto. Precisava do exorcismo pronto quando tocasse no monstro, do contrário seria absorvido.
Nesse momento a Baronesa já estava chegando e pode ver tudo com seus próprios olhos, furiosa, ela cerrou os punhos e começou a rezar. A criatura encarou o padre até que o corpo do homem fosse totalmente absorvido, aquela ‘refeição’ tinha sido o suficiente para formar um braço grotesco, mas não para preenchê-lo de carne, sobrara então por todo lado direito do monstro buracos, por onde se via os ossos e partes internas. Isso deu ao padre tempo para terminar o exorcismo. Semi-acabada, a criatura avançou correndo aos tropeções, como as criaturas infernais normalmente fazem, o padre só precisava tocar na criatura e fazer a segunda oração para a salvação das duas almas. O homem absorvido já estava morto, porém sua alma precisaria ser libertada e a possuída, exorcizada. Fazer isso em tão pouco tempo não seria tarefa fácil, mas tinha de tentar.
O monstro já estava perto. O padre sentia o cheiro podre, ouvia as passadas pesadas, os grunhidos inumanos, mas manteve os olhos fechados e o coração sem medo. Calculou a posição do monstro e no momento certo esticou o braço. Ouviu um grito, mas não sentiu o toque. Abriu os olhos. Sua mão estava a centímetros da criatura.
Algo estranho havia acontecido. A Baronesa tocava o monstro pelo lado, que congelado como uma estátua, tinha uma expressão de terror e tristeza nos olhos, um terror que só um possuído poderia sentir. O terror de ter seu corpo mudando a composição de carne, ossos e órgãos para cinzas, o que causava uma dor alucinante, o terror de ter sua alma sendo desmembrada, estraçalhada e destruída, o terror de saber que não vai nem para o céu ou para o inferno e sim para o vazio da inexistência, o terror de sentir tudo isso e não poder gritar.
Do lugar onde a Baronesa tocou, espalhou-se uma cor cinza por todo corpo do monstro, com uma textura que não lembrava pedra, mas, sim, pó acumulado. O padre teve tempo de ver o efeito tomando o corpo da criatura, que apesar dos pecados e da morte, possuía ainda um resquício de humanidade e tinha salvação. Também teve tempo de reparar em uma lágrima, que escorria do olho ainda não transformado em cinza da possuída. Quando foi finalmente inteira afetada pelo toque, ela se desfez e suas cinzas levadas pelo vento. A alma das duas pessoas, assim como a do demônio haviam sido completamente destruídas. O padre sabia que aquilo não era um exorcismo, era uma outra coisa, mais antiga, mais cruel, mais perigosa…
“Ela... ela lançou um sortilégio?”
Foi o que pensou, enquanto encarava a Baronesa, que estava pingando suor, cansada, ofegante, suja de terra e graxa. Ela olhou em seus olhos, mas não disse nada, apenas se virou voltando para a mansão.
Durante a noite, máquinas de limpeza desceram, para limpar o que sobrou das cinzas.
submitted by carretinha to EscritoresBrasil [link] [comments]


2019.11.14 02:00 SawdustCrusader Seria essa a pior fase da Seleção da era Tite?

Estive olhando a escalação e o plantel no geral: Porque alguns desses caras foram convocados? Estão quase todos indo mal nos seus clubes no momento, e estão sendo convocados jogadores de times B da Europa e alguns superestimados aqui do Brasil.
Tirando o Thiago Silva, Casemiro, Alisson, e Firmino, quase todos eles estão esquentando banco ou estão com suas posições comprometidas, ou tem sua titularidade garantida e ainda assim tem tido atuações péssimas. Passou-se o tempo que a seleção brasileira foi formada de jogadores que eram os caras de suas equipes.
Começando pelo Danilo: Lateral direito é uma posição carente na seleção, sabemos disso. Mas apostar no Danilo, me desculpe, é furada. O cara tinha sua posição contestada no Manchester City, foi usado como moeda de troca para ir a Juventus e é banco lá. Vai ser titular contra a Argentina.
Na reserva temos o Emerson (20) do Barcelona, emprestado ao Betis. Jovem, foi emprestado para ganhar experiência na La Liga, algo essencial para defensores na Espanha. Tem sido consistentemente escalado, tem tido boas atuações. Agora eu te pergunto: Se quando o Danilo lesionou o Tite chamou o Marcinho (?) do Botafogo, porque o mesmo Danilo não pode ser facilmente substituído por esse Emerson? E porque chamaram o Marcinho e não o Willian (ex-Inter) do Wolfsburgo, será que o empresário desse cara não tem voz na CBF? Do outro lado, Alex Telles e Jorge sonham em ser reservas do Lodi um dia, e esse aí aparentemente é reserva de Alex Sandro apesar de ser o maior destaque do Atleti junto com o Félix.
Será que realmente o nove da Seleção Brasileira tem que ser o Gabriel Jesus, reserva de Aguero? Será que o dez da seleção brasileira tem que ser o Paquetá, jogando em um time de meio para final de tabela na Itália? Coutinho que foi do céu ao inferno no Bayern em duas semanas, mostrando ser um jogador completamente instável, merece sequência na seleção? Richarlison, jogador do Everton que está passando por um mal momento? Porque a seleção brasileira tem dois jogadores do Aston Villa? Rodrigo Caio e Gabigol na seleção, sério?Everton Ribeiro sendo analisado pelo filho do Adenor? Bruno Henrique é "world class"? Vou nem falar do Vinicius e Rodrygo, mal tem experiência de clube e já foram arremessados na seleção principal. Marquinhos é volante, não tem um zagueiro de ofício melhor que ele? Como o Brasil é o país que mais exporta talentos para a Europa e não temos respostas óbvias para essas perguntas?
A única explicação que eu encontro é que essa é a pior fase da Seleção desde 2017.
submitted by SawdustCrusader to futebol [link] [comments]


2019.11.08 18:44 nRichhhy Quais seriam suas alterações no elenco pra 2020?

Queria saber a opinião de possíveis reforços que podem chegar e uma lista de dispensa pra reformulação do elenco (lembrando que é somente elenco, não vou entrar no mérito de diretoria) aqui vou fazer a minha e queria saber a opinião de vocês sobre
Goleiros - Weverton, Prass e um goleiro da base seria o suficiente pro ano de 2020, gosto muito do Jailson mas não acho necessário manter ele, podendo dar lugar a um goleiro da base e pra 2021 ai sim contratar algum goleiro pra substituir o Prass por conta de uma possível aposentadoria
Zagueiros - Gomez e Vitor Hugo mantidos mesmo a defesa não sendo tão boa quanto no começo do ano, pra mim os dois entram nos melhores que jogam no brasil, Dracena por idade (tirar mais um salário alto da folha), Antônio Carlos por questão técnica e SEMPRE falhar em jogos importantes no qual jogou (vide paulistão 2018) e Luan por ser um zagueiro inseguro (naquele jogo contra o Grêmio no pacaembu foi bizonho pois nem chutão ele conseguia dar de tão em choque que tava)
Laterais Esquerdos - Victor Luis mal teve chances durante o ano e pra mim é uma boa opção caso o outro lateral esteja suspenso ou machucado além de toda história de ser da base e identificação com o clube então eu o manteria, já o Diogo Barbosa sempre parece que tá jogando com uma má vontade desgraçada, no segundo gol do grêmio do pacaembu deixou de acreditar na jogada e deixou o Alisson sozinho pegando rebote, no jogo contra o Ceará tava andando enquanto o cara tava sozinho quase marcando o gol e fazendo o Weverton salvando o time, então seria um jogador para venda e no seu lugar a necessidade de um lateral direito de peso.
Lateral Direito - Por mais que o Mayke tenha cometido uma falha grotesca contra o Vasco, acho ele um bom lateral e foi titular quase durante todo o brasileirão de 2018, acho ótimas as chegadas dele na linha de fundo e acho ele ok defensivamente. Marcos Rocha defensivamente pra mim é uma coisa triste de se ver, por mais que apoie bem ofensivamente durante o mata-mata contra o Inter ele sempre sofre absurdos contra o Patrick/Edenilson e sempre compromete a defesa. Jean nem preciso comentar, pra mim é um ex-jogador em atividade que só quer pegar dinheiro do clube.
Volantes - Felipe Melo por mais que comprometa e MUITO o time em momentos importantes como Paulista 2018, Libertadores 2018/2019 foi o melhor do time durante uma parte do ano e pra mim ainda tem bola pra jogar mais um ano pelo menos, Matheus Fernandes pra mim foi uma contratação em 2019 feita pro ano de 2020 pois mal teve oportunidades e acho que ele pode evoluir bastante também, Ramires não tem o mesmo potencial de evolução mas já que pagam 1 milhões por mês pra ele fazer tour no DM que jogue pelo menos 1 ano direito, Bruno Henrique pra mim é um dos caras que ou ele faz gol e salva o time ou afunda o meio de campo e marca muito mal (como no gol do Nathan no jogo do Atlético Mineiro) além de toda aquela treta envolvendo a mulher dele etc sinto que não tem mais clima pra ele aqui então venderia pra contratar um segundo volante do mesmo nível e que seja menos inconstante. Thiago Santos sempre é aquele volante raiz mas é triste ver o cara errando todos passes possíveis etc, por mais que tenha ganhado muita coisa aqui não acho ele uma opção BOA pra reserva por mais que marque muito bem, acho que poderia ser vendido para um time que fique na segunda parte da tabela
Meias - Scarpa e Zé Rafael para mim são SIM bons jogadores que ainda podem agregar ao elenco, pra mim o Scarpa até mais do que o Zé por mais que o Scarpa seja muito irritante tentando chutar toda bola que recebe e acertando 1 de 20, talvez até o Scarpa no time titular e o Zé no Banco para mim seria OK. Lucas Lima também é um dos jogadores mais sem vontade que já vi aqui e tem um salário altíssimo, o preço de manter ele no elenco pelo o que ele entrega não vale nem um pouco a pena. Raphael Veiga sempre senti que ele treme horrores quando joga aqui, nunca vi ele fazendo uma grande jogada, parece que é aqueles jogadores que só sabe tocar pro lado além da insatisfação que já demonstrou ter por ficar no banco então pra mim é mais um a ser vendido pra um time de segundo escalão como até o próprio Athletico, Hyoran por mais que seja um pouco parecido com o Veiga parece se entregar mais ao time além de ter feito algumas partidas boas como contra o Grêmio no primeiro turno desse ano, não sei se a falta de ritmo atrapalhe ele ou se um empréstimo faria bem, mas eu manteria pra ficar no banco.
Atacantes - Deyverson pra mim é um caso inexplicável pois não sei o que esse cara ainda faz no elenco, por mais que faça uns gols (na sua incrível média de 1 a cada 4 jogos) pra mim é totalmente pirado, não agrega ao time e mata TODA jogada que recebe bola ou precise puxar contra-ataque, pra mim vender ou usar como moeda de troca é a melhor opção, mas NÃO DÁ pra manter esse cara no elenco, Borja pra mim foi a maior enganação da história do clube e também tentaria vender pois não tem mais clima e também a qualidade técnica dele já provou ser baixa, Carlos Eduardo pra mim é um dos piores jogadores que já vestiu a camisa do clube e 24 milhões nele pra mim tem algo muito sujo por trás disso, mas tentaria vender pra tentar recuperar pelo menos uma parte desse valor absurdo (por mim os 3 eram dispensados mas tem que pensar na economia do clube), Dudu e Luiz Adriano para mim continuariam como titulares no ano que vem e Willian seria um ÓTIMO reserva mas precisamos de jogadores do nível do Dudu para ataque/meio e o Willian as vezes não entrega tudo isso, além de dar mais chances ao Angulo também.

FICA: Weverton, Prass, Gomez, Vitor Hugo, Victor Luis, Mayke, Felipe Melo, Matheus Fernandes, Ramires, Scarpa, Zé Rafael, Hyoran, Dudu, Willian, Luiz Adriano.
TENTA VENDER: Luan, Diogo Barbosa, Marcos Rocha, Bruno Henrique, Thiago Santos, Veiga, Lucas Lima, Borja, Deyverson, Carlos Eduardo.
DISPENSA: Jailson, Dracena, Antonio Carlos, Jean.

Necessário contratar:
2 Zagueiros reservas que sejam bons como o Gustavo Henrique do santos já seria o suficiente.
2 Laterais para serem titulares de grande nível pois os atuais que são incontestáveis atrapalham MUITO defensivamente.
1 Volante que seja excelente (por mim tentar achar um cara aleatório que jogou MUITO como Moisés e Tche Tche em 2016 seria o ideal e o suficiente) e até subir algum da base caso seja necessário por lesão ou suspensão dos outros.
2 Meias sendo um que possa evoluir e tenha tido boas atuações durante esse ano, e outro que seja no mesmo nível do Dudu para dividir protagonismo no time (Ou já utilizar o Gabriel Veron)
1 Centro avante de bom nível para substituir o Luiz Adriano já que o mesmo se machuca muito
2 Pontas sendo um de grande nível também para dividir protagonismo e outro que seja bom caso aconteça lesões ou suspensões já que Hyoran ou Veiga de ponta simplesmente é horroroso. (Utilizar mais o Angulo também)
submitted by nRichhhy to palmeiras [link] [comments]


2019.10.18 02:45 Rafaelkb Interface de carne (eu to traduzindo essa merda e é bem maneiro)

Nos experimentos da MKULTRA, a CIA dosou LSD em sujeitos sem seu conhecimento para ver como eles reagiriam. Oque ainda não veio a tona é que o MKULTRA era um projeto intra agência. A CIA criou novos departamentos e os fez ingerir doses regulares de LSD e outros psicoativos para ver como os departamentos iriam divergir e mudar comparado aos departamentos normais.
....
Inteiros projetos e hierarquias foram criadas com todos os involvidos inconscientemente sob influência de LSD. É assim que "cama portal de restrição " e "interfaces de carne" foram criadas. Por uma grandiosa hierarquia psico-mutada. A coisa toda tinha que ser eliminada, mas a tecnologia que ela criou foi revolucionária. O governo dos E.U.A. tentou pacificar o vietnam vila por vila usando o Programa Hamlet Estratégico, basicamente fechando vilas que tinham pouca ou nenhuma influência vietcong. Eles tentaram experimentos mais extremos onde eles isolaram as vilas ou grupos de vilas, não permitindo ninguém a entrar ou sair por períodos acima de quatro anos. Em algumas das vilas, pessoas simplesmente morreram de fome. Em outras, vilas mais auto-suficientes, as pessoas conseguiram passar raspando. Foi notado que em várias vilas em que essa técnica foi tentada, movimentos sociais messiânicos ou millenares começaram a se espalhar. Em 16 incidentes separados, vilas foram capazes de independentemente inventar "interfaces de carne" e "Portais não-eletricos", e foi suposto que essas vilas estavam sendo dosadas com LSD por longos períodos de tempo, e era sua mutação intelectual que permitia esses 'avanços'. As interfaces de carne foram eventualmente destruídas pelo exercito vietnamita do norte com um terrível custo de vidas. ... Estou surpreso que eles usaram submarinos nucleares nas Ilhas Malvinas, considerando a proximidade da batalha em relação a zona de incidente submersa ao redor do chamado portal Artigas. Oque eu entendi é que, o portal foi aberto por causa de experimentos na estação Antártica da CIA no começo dos anos 80, as ilhas Malvinas rapidamente se tornaram o centro de uma pesquisa sobre portais. Sendo submerso, o portal tinha uma enorme zona de incidentes, e segmentava baleias e os detritos sempre eram levados as margens das ilhas. Eles encontraram uma baleia que havia sido segmentada perfeitamente no meio por um disturbio na zona, fazendo um corte perfeito na criatura. Eles tambem encontraram centenas de criaturas "chitinous cruciform ", certamente não terrestres. De qualquer forma, se um submarino nuclear houvesse entrado na zona incidente , poderia ter sido desastroso, mas acho que eles consideraram o risco aceitável. ... Os soviéticos designaram grandes porções dos campos da Ucrânia como "populações de colheita". Basicamete, sua comida e água era dosada com LSD e eles alcançaram oque os Soviéticos chamam de "integração". Isto significa que a população local inventou interfaçes de carne de forma independente. O exercito soviético colocou a area sob quarentena e tentou remover as interfaces de carne para uso próprio. Geralmente sem sucesso e com grande perda de vidas.
Muitos soldados e cientistas foram segmentados, como acontecia na zona incidente. Então eles acabavam como pessoas faltando membros, cortados no meio, etc. O interessante é que pessoas podiam viver por até bastante tempo apesar da segmentação. Isso levou os soviéticos a acreditar que as partes que estavam faltando ainda existiam em algum lugar desconhecido. Uma das teorias é que estavam em algum lugar interdimensional. E eles erraram um pouco. ....
Dubai provavelmente tem o maior índice de incidentes com flutuações-livres não-interfaçe que qualquer outra area metropolitana do mundo. Em um incidente, um grande grupo de imigrantes trabalhadores foram segmentados em uma instalação subterrânea. Perfeita segmentação com cortes transversais pela parte frontal. Voce podia ver os pulmões funcionando, comida sendo digerida, sangue sendo bombeado dentro do coração, tudo. Eles sobreviveram quase 5 meses nesta condição. Absolutamente fascinante de se ver pessoalmente. Havia também um grupo escolar de crianças que foram levemente segmentadas, em algumas extremidades do corpo. Não há interfaces de carne conhecidas em Dubai. No entanto, é sugerido que a arquitetura é realmente baseada na geometria da interface e carrega um poder de potencial latente. As segmentações em massa continuam sendo um dos aspectos mais misteriosos das interfaces. Eles parecem mostrar que as interfaces se concentram na carne, fazendo juz ao seu nome. ... Basicamente, quando você olha as histórias do comportamento de Elizabeth Bathury, parece que ela está tentando construir uma interface de carne. Mas é conhecido que, para inventar uma interface de carne, deve-se estar sob a influência de LSD por longos períodos. Como o LSD não tinha sido inventado durante a vida de Elizabeth, provavelmente é apenas uma coincidênca. No entanto, é uma teoria tentadora. ... Obviamente, não consigo definir uma interface de carne em termos de propósito ou composição ou mecanismo. Só posso listar os vários fenômenos que estão relacionados a eles. O maior entre estes é a criação de uma zona de incidente em que os objetos são espontaneamente segmentados, quer dizer, partes dos objetos simplesmente desaparecem, mas os objetos continuam a se comportar como se as partes em falta ainda estão presentes.
Além disso, você vê túneis complexos criados na Terra. Estes foram chamados de "fazendas de formigas". Em interfaces submersas, você obtém organismos cruciformes citines. Estes organismos Sui Generis são pensados para ser o resultado em processos evolutivos que ocorreram em um ambiente diferente da terra. Esta é uma especulação, mas neste caso, eu concordo com ela. Então houve os cilindros metálicos gigantes que aparecem e sofrem segmentação espontânea contínua. Estes são geralmente com 10 metros de diâmetro no mínimo e podem ficar muito maiores, e só ocorrem em interfaces muito grandes, isto é, Portais. Além disso, os fenômenos são muito variados para mencionar, e diferentes para cada interface. ... Muitas pessoas pensam que um portal é simplesmente uma grande interface de carne. Isso é verdade. Um portal é uma grande interface de carne. Mas também é mais do que isso. Um portal é, como o nome implica, uma maneira de enviar objetos entre o local do portal e onde quer que as várias saídas estejam localizadas. (Isto é, as chamadas cidades alien irmãs) Os portais geralmente são, mas nem sempre, acompanhados pelos grandes cilindros metálicos flutuantes. O maior portal acima da água que eu conheço ocorreu na Nova Zemala e existiu por várias semanas antes de ser destruído pelos russos com a "Tsar bomba". Neste caso, os cilindros metálicos estavam há milhas de altura e cobertas de recursos raramente vistos em outros cilindros: luzes piscantes, nódulos e até coisas que chamavamos de antenas. Eles assumiram uma aparência muito artificial. Isto é, eles parecem ser construídos em tecnologia em vez de fenômenos que ocorrem naturalmente.
Os próprios cilindros são artefatos sendo enviados através dos portais? Ou eles são fenômenos criados pelas interfaces de carne da mesma forma que o gigante cogumelo de fumaça é criado por uma explosão nuclear? Isso não está claro. Eu queria poder mostrar fotos de vocês, cilindros Novaya Zemlya. Eles realmente eram lindos, levantando milhas no ar ártico, como grandes torres alienígenas, tingidos pela vastidão das distâncias envolvidas. Embora tenha sido certamente necessário destruí-los, e temos uma grande dívida para os esforços incansáveis dos sovieticos para destruir a interface, às vezes eu queria que ainda estivesse lá. Pelo menos então, haveria algo, alguma evidência. ... Em resposta ao que a CIA tinha "realizado" com sua estação antártica em Artigas, os soviéticos construíram uma estação maior em Novaya Zemlya no ártico. 30 mil prisioneiros e uma concentração de gás excepcionalmente pura criou uma interface de carne que passaram por todas as sete etapas em menos de treze minutos e se tornaram um portal completo. Dentro de um dia, os típicos cilindros metálicos flutuantes foram visíveis, e dentro de 3 dias estavam se estendendo milhas para o céu. Os soviéticos rapidamente perceberam que o portal estava crescendo fora de controle. Em instâncias anteriores, eles simplesmente teriam bombardeado o local do ar. Mas neste caso, os enormes cilindros e zona de incidente, se estendendo ate a borda do espaço, impossibilitava isso junto com ataques de mísseis. Havia também uma zona lateral de incidência excepcionalmente grande ao redor do portal, com segmentação ocorrendo a quilômetros de distância do local. Alarmado com o crescimento descontrolado da zona e o crescente túnel subterrâneo (também conhecido como "fazendas de formigas") os soviéticos trabalharam fervorosamente para construir uma bomba de hidrogênio de poder sem precedentes, que poderia ser detonada do lado de fora da zona de incidente e ainda derrubar o portal. A taxa constante de crescimento na zona de incidentes forneceu um prazo exato, que eles conseguiram cumprir com apenas duas horas de sobra. Um pouco mais tarde, a bomba não poderia ter sido colocada de modo a desmoronar a interface. Em suma, o mundo chegou em duas horas sendo submetido a uma interface de carne descontrolada e talvez ao fim da civilização como a conhecemos. Antes do colapso do portal, no entanto, os soviéticos haviam adquirido conhecimento em primeira mão de uma das chamadas cidades irmãs. Em outras palavras, alguém entrou no portal e voltou. ... Sempre achei o sonho de Lisa um bom ponto de partida ao tentar entender os efeitos psicológicos da "viagem". Lisa era uma menina de 9 anos enviada pela interface Groom Lake em 1975. A interface Groom Lake se conecta à chamada Cidade das Irmãs (tecnicamente, "locus persistente"), conhecida como "Os Templos Suspensos". Ela ficou lá por 5 dias no tempo normal, mas apenas 48 segundos além-do-tempo, uma discrepância acentuada. Ao retornar, ela não se lembrou de nada além de ficar sonolenta por um momento. Ela dormiu bem naquela noite e, pela manhã, contou um sonho aos médicos, antes de morrer mais tarde naquele dia. Uma transcrição direta do áudio de sua entrevista: " Era primavera e chovia o dia inteiro, mas a chuva parou logo antes do pôr do sol. Então, todas as nuvens estavam planas e o céu estava realmente laranja. E a grama estava toda molhada de chuva e havia vagalumes ao redor, e estavam lá em cima, lá no céu, e eram grandes. E eu e minha vó saímos para essas colinas, passando pela periferia da cidade, e embaixo das colinas havia pessoas dormindo. Não em cavernas. Eles estavam enterrados sob as colinas. As pessoas estavam dormindo, mas estavam se abraçando. Famílias, tipo mães e pais e crianças pequenas. Apenas embalados juntos, alguns milhares. As colinas foram explodidas como balões porque estavam cheias de pessoas. Como o estômago de uma mulher grávida. Minha avó me disse para me deitar, mas eu não queria. Ela deitou-se e foi sugada pelo chão. Eu ouvi a voz dela saindo do chão e me dizendo para entrar." ... Seria fácil dizer que os soviéticos descobriram o segredo de sobreviver a "viagem" porque eles eram mais implacáveis, mais dispostos a sacrificar vidas inocentes. Mas não havia realmente falta de implacência por parte da CIA. Foi realmente apenas uma questão de abordagem. Os soviéticos se aproximaram do mistério das interfaces de carne da mesma maneira que se aproximaram do seu programa espacial. Os primeiros seres humanos no espaço (os chamados "cosmonautas perdidos" que nunca foram oficialmente reconhecidos) eram apenas pessoas comuns, escolhidos dos gulags, sem mais controle sobre suas missões do que a cadela Laika. Os americanos, por outro lado, começaram com homens profissionais, geralmente das forças armadas. Da mesma forma, quando foi descoberto que objetos e até animais que entravam na interface da carne ocasionalmente voltavam ilesos, os americanos começaram a treinar homens para entrar nas interfaces. Porque eles selecionavam seus homens de certas fileiras militares, tinham idades semelhantes. Os soviéticos, no entanto, usavam prisioneiros, que tinham uma faixa etária muito mais ampla, e assim conseguiram descobrir a correlação essencial: quanto mais jovem uma pessoa, maior a probabilidade de sobreviver a "viajem", e maior o tempo que eles sobreviveriam após a viagem. Eles descobriram que pessoas com uns 20-e-alguma-coisa eram muito mais prováveis de sobreviver (embora em um estado horrivelmente alterado ") do que pessoas mais velhas. Eles descobriram que as pessoas nos seus vinte e poucos anos se saíam melhores do que aqueles com mais de vinte. Os adolescentes se saíam ainda melhores. Então, apesar de toda a computação moral, era realmente uma questão de tempo antes de enviar uma criança. E foi apenas depois que a primeira rodada de crianças que eles tiveram uma pequena idéia do que estava no "outro lado". ... Até encontrarmos a vila, suspeitávamos que os detectores fossem apenas acessórios. Ninguém acreditou que iria ser assustador. Apenas brinquedos dados pelos caras da CIA para nos tranquilizar. 3 dias através da selva, e esses detectores não detectaram uma maldita coisa. Mas antes mesmo de vermos a primeira cabana, as agulhas em todos os detectores começaram a se mover em uníssono. Se eles fossem brinquedos falsificados, seria um efeito especial legal. As agulhas balançaram para frente e para trás e todas as pequenas caixas de metal deixaram esse assustador ooaaoaaaaooo som em uníssono, como um coral escolar. Bem estranho. Nós desligamos eles. Como instruído, tratamos todas as vietnamitas como combatentes, e matamos todos eles. Embora não houvesse nenhuma resistência. Alguns tinham armas, mas a maioria estava desarmada. Nenhum lutou de volta. Eles nem sequer correram. Eles estavam apenas sentados ao redor, descansando embaixo do sol, e nós atiravamos neles onde os encontrávamos. Trabalho sombrio. E muito estranho. Isso provavelmente nos assustou mais do que os detectores. Era como se estivessem esperando para morrer. Depois de limpar a aldeia, não sabíamos o que fazer. Então, ligamos um dos detectores e andamos por aí para ver o que que estava rolando. O detector começou a ficar louco em torno de uma das maiores cabanas no meio da aldeia. Nós já tínhamos limpado ela, mas nós entramos novamente. Havia um grande altar no interior, com velas e budas e placas de ouro com letras e merdas. Achamos que talvez uma das estátuas de Buda estivesse acionando os detectores, mas não. A cabana estava muito quente e abafada. Mesmo para os padrões incrivelmente úmidos do Vietnã, era incrivelmente, incrivelmente úmido lá. Até as estátuas de Buda estavam suando. Seus rostos estavam literalmente revestidos com gotas de umidade. Todo mundo percebeu que havia algo estranho no ar. Havia algo de errado com a pressão. Então jogamos tudo. Pegamos toda a merda e jogamos fora da cabana. É claro que, quando pegamos a grande plataforma que segurava o altar, havia algo debaixo. Era um poço feito de carne. Talvez um metro e meio de diametro e descendo cerca de cinco metros antes de fazer uma curva e sair de vista. Quando eu digo, "feita de carne", quero dizer, parecia o interior da garganta de alguém. Molhado, avermelhado meio carne. Nós já ouvimos falar que eles estavam construindo túneis, mas isso era ... Nós realmente não conseguimos entender o que estávamos olhando. Estava respirando. A carne brilhante ondulava e este ar quente saiu, e sentia e cheirava como alguém respirando diretamente no rosto. O suficiente para te deixar enjoado. Eles nos disseram que "Nós saberíamos quando vessemos". Bem, nós vimos, e nós sabíamos. Nós passamos as coordenadas por radio e corremos pra cacete. ...
submitted by Rafaelkb to brasil [link] [comments]


2019.09.01 23:59 fidjudisomada Primeira Liga 2019/20, #4: SC Braga 0-4 SL Benfica

DINAMITE BENFICA!

O Benfica tomou balanço na primeira parte no Municipal de Braga (0-1) e entrou com tudo no segundo tempo, derrubando o Braga por 0-4 na 4.ª jornada da Liga NOS. Os encarnados já são a equipa mais realizadora da competição com 11 golos faturados.
O primeiro momento quente, e polémico, da partida aconteceu logo ao minuto cinco. Odysseas, com um pontapé longo, solicitou a entrada de Raul de Tomas nas costas da linha defensiva do Braga, que estava desprevenida. O avançado espanhol ficaria na cara do golo... se João Novais não tivesse intercetado o esférico com um braço. A equipa de arbitragem, porém, não assinalou a infração, com o juiz Nuno Almeida a dar indicação para o encontro prosseguir.
O Benfica começou a agarrar o jogo com firmeza a partir do quarto de hora. Aos 17', uma incursão de Grimaldo pelo corredor esquerdo resultou num cruzamento para o cabeceamento em mergulho de Seferovic, que foi apertado pelos defensores da equipa minhota. A bola passou ao lado da baliza.
De uma recuperação de bola de Rúben, ao minuto 22, nasceu um raide de Rafa, sobre o lado direito do ataque. O camisola 27 rompeu a alta velocidade e cruzou, sendo o esférico intercetado e tocado pela linha de fundo.
No desenvolvimento do canto, e já numa segunda vaga, Florentino conquistou a posse em cima da área arsenalista, furtou-se e depois, já na zona de rigor, foi atingido na cara pelo pé esquerdo de Hassan. Penálti para as águias aos 23'!
Pizzi, da marca dos onze metros, muito concentrado, foi exemplar na cobrança, batendo a bola para a direita, enquanto o guarda-redes Matheus voava para o lado contrário. Os encarnados adiantavam-se aos 25': 0-1.
Aposta de Bruno Lage para o miolo do meio-campo ao lado de Florentino, Taarabt, aos 33', correu com bola na intermediaria arsenalista, combinou com Grimaldo, recebeu, endossou para Raul de Tomas, e este, sobre a esquerda da área, cruzou rasteiro; Seferovic, com a baliza à mercê, esticou-se, mas não foi capaz de encaminhar a bola para as redes.
Num momento de reação, Esgaio teve algum espaço sobre a direita e cruzou largo; Ricardo Horta escapou à vigilância da defensiva benfiquista, amorteceu no peito e chutou com perigo de pé direito, acertando no poste esquerdo aos 37'.
No minuto seguinte, o Benfica, pelo pé direito de Raul de Tomas, tentou o 0-2. Seria, aliás, um golaço! O espanhol intercetou um passe de Lucas e, de longe, rapidamente optou por um chapéu a Matheus, errando a baliza por pouco. O esférico sobrevoou a barra.
Já com o intervalo à vista, as águias criaram duas boas oportunidades para ampliar a vantagem. Sempre com Raul de Tomas a servi-lo com finíssima precisão e qualidade, Seferovic ficou em ambos os lances a centímetros do 0-2.
Forte e sintonizado com a baliza adversária após o período de descanso, o Benfica dinamitou a defensiva arsenalista e num fósforo esticou a sua vantagem para 0-3.
Rafa, ao minuto 47, conduziu a rápida investida pela direita e abriu tudo no flanco para André Almeida, que depressa executou um centro para a entrada de Pizzi, que, de pé esquerdo, chutou colocado, não dando chances ao guardião Matheus (0-2). Foi a primeira assistência do lateral-direito (em estreia oficial em 2019/20) nesta edição da Liga NOS, enquanto Pizzi apontou o seu 5.º golo (é o melhor marcador dos encarnados).
Novo ataque perigoso das águias, na circunstância sobre a esquerda e pelos pés de Seferovic, com o suíço a cruzar rasteiro e a forçar o autogolo de Bruno Viana, que tentara a interceção, de carrinho (tinha Raul de Tomas nas costas): o 0-3 era uma realidade aos 50'.
Confortável e autoritário, o Benfica procurou o 0-4 num disparo de Raul de Tomas aos 60', mas Matheus, bem posicionado, impediu o festejo.
Bruno Lage decidiu fazer a primeira troca na equipa: Jota foi a jogo aos 68', rendendo RDT.
Jota entrou, recebeu de Rafa, acelerou e, já na área, cruzou da direita para a finalização de Seferovic. Esgaio interpôs-se, mas o corte saiu defeituoso, iludindo o guarda-redes Matheus: autogolo e 0-4 para o Benfica aos 73'. E as águias passavam a ter o melhor ataque da Liga NOS: 11 golos em quatro jornadas.
O técnico das águias resolveu fazer duas alterações e esgotou as substituições em poucos minutos: saíram Pizzi (75') e Seferovic (76'), entraram Caio Lucas e Vinícius.
Brioso, o Braga nunca se entregou, elaborou ataques e exigiu o melhor do Benfica e da sua linha recuada, facto que valorizou ainda mais a atuação das águias e o triunfo alcançado num terreno onde é sempre complicado somar três pontos.

Conferência de imprensa de Bruno Lage

Coisas e Loisas

  • Adel Taarabt titular pela 1ª vez em 2019/2020. O marroquino só tinha 1 jogo de início com a camisola do Benfica - Feirense x Benfica (2018/2019);
  • André Almeida faz os primeiros minutos em 2019/2020. O lateral português não atuava pelo Benfica desde maio - Benfica x Santa Clara;
  • Pizzi chega ao 6º golo na temporada. Neste momento, o médio internacional português tem mais golos (6) do que jogos (5);
  • Pizzi bisa pela 3ª vez em 2019/2020. É o segundo bis consecutivo de Pizzi nas visitas a Braga;
  • Pizzi a bisar em 2019/2020: Benfica x Sporting - Supertaça; Benfica x Paços Ferreira - Liga NOS; SC BRAGA X BENFICA - LIGA NOS;
  • Benfica chega à chapa 4 pela 3ª vez em 2019/2020. Pelo 2º ano consecutivo o Benfica marca quatro golos na visita à Pedreira;
  • Depois da derrota no clássico, o Benfica regressa às vitórias na Liga. Pelo 5º ano consecutivo, os encarnados bateram o Sporting de Braga na Pedreira;
  • Últimos Braga x Benfica: 0x2 - 2015/2016; 0x1 - 2016/2017; 1x3 - 2017/2018; 1x4 - 2018/2019; 0x4 - 2019/2020;
  • Ao 5º jogo da época, o Benfica chega à 3ª goleada: Benfica 5x0 Sporting; Benfica 5x0 Paços Ferreira; Belenenses SAD 0x2 Benfica; Benfica 0x2 FC Porto; BRAGA 0x4 BENFICA;
  • É a 14ª goleada do Benfica sob o comando de Bruno Lage. Na Liga, com o técnico campeão nacional, os encarnados levam 12 goleadas;
  • Bruno Lage na Liga: 23 jogos; 21 vitórias; 1 empate; 1 derrota; 83 golos marcados; 18 golos sofridos;

Multimédia

Eleição do MVP

Talking Points

Preparámos uma lista de temas para conversas sobre este jogo, mas estejam à vontade para passar por cima dela, ou pegar num ou alguns, e apresentar as tuas observações e expressar opiniões:
  1. O resultado foi justo? Na tua opinião, o que faltou à equipa para alcançar um resultado ou exibição melhor?
  2. Está satisfeito com a resposta da equipa hoje? Qual foi o aspeto do jogo que mais te impressionou?
  3. Com o benefício da visão a posteriori, que alterações farias ao 11 inicial?
  4. Em retrospetiva, o que farias diferente ao longo do jogo? Como avalia os critérios de substituição? Trouxeram algo diferente ao jogo?
  5. Qual foi o jogador que mais se destacou com a camisola do SL Benfica? Nessa nota, quem foi a maior deceção?
  6. Quais são os aspetos positivos que o SL Benfica pode tirar deste jogo?
  7. Enfrentaremos o Gil Vicente FC na próxima partida, no Estádio da Luz, em jogo a contar para a 5.ª rodada da Primeira Liga 2019/20. Quais as perspetivas?

Relacionados

submitted by fidjudisomada to benfica [link] [comments]


2019.08.02 13:01 trottta Será que o Daniel Alves vai render nesse time?

Tava pensando aqui. Se o Messi fosse contratado agora pelo XV de Jaú, o time iria subir de nível? Sim. Mas continuaria sendo o XV de Jaú, o Messi sozinho não resolve se não tiver bons jogadores ao lado dele.
(talvez se fosse o Cristiano Ronaldo ele conseguiria sozinho fazer o XV de Jaú ganhar uma Eurocopa, mas isso é outra história)
Quem o Dani Alves tem ao lado dele pra fazer jogadas?
Pato, Pablo, Hernanes, são jogadores inteligentes, de talento e técnica acima da média. Tchê-Tchê, Bruno Alves, Arboleda, são jogadores de nível internacional. Até o Volpi é internacional. O Antony e o Luan estão claramente quase prontos pra ter uma carreira internacional em bons times da Europa.
Os únicos pé de rato que o Dani Alves vai ter que conviver vão ser qualquer um que jogar na lateral esquerda, e os reservas desses caras todos. Sendo que o Everton, o Liziero, talvez até o Toró, são reservas de bom nível quando jogam.
Todas essas peças, que podem estar rendendo abaixo do que poderiam, têm potencial pra render mais e subir de patamar com o Daniel Alves. Então acho sim que vai dar certo.
O que você acha?
submitted by trottta to SaoPauloFC [link] [comments]


2019.07.10 19:11 vipzen A música Eduardo e Monica da banda Legião Urbana esconderia uma implicância com o sexo masculino?

O falecido Renato Russo era, sem dúvida, um ótimo músico e um excelente letrista. Escreveu verdadeiras obras de arte cheias de originalidade e sentimento. Como artista engajado que era, defendia veementemente seus pontos de vista nas letras que criava. E por isso mesmo, talvez algumas delas excedam a lógica e o bom senso. Como no caso da música Eduardo e Mônica, do álbum Dois da Legião Urbana, de 1986, onde a figura masculina (Eduardo) é tratada sempre como alienada e inconsciente, enquanto a feminina (Mônica) é a portadora de uma sabedoria e um estilo de vida evoluidíssimos. Analisemos o que diz a letra.
Logo na segunda estrofe, o autor insinua que Eduardo seja preguiçoso e indolente (Eduardo abriu os olhos mas não quis se levantar; Ficou deitado e viu que horas eram) ao mesmo tempo que tenta dar uma imagem forte e charmosa à Mônica (enquanto Mônica tomava um conhaque noutro canto da cidade como eles disseram). Ora, se esta cena tiver se passado de manhã como é provável, Eduardo só estaria fazendo sua obrigação: acordar. Já Mônica revelaria-se uma cachaceira profissional, pois virar um conhaque antes do almoço é só para quem conhece muito bem o ofício.
Mais à frente, vemos Russo desenhar injustamente a personalidade de Eduardo de maneira frágil e imatura (Festa estranha, com gente esquisita). Bom, Festa estranha significa uma reunião de porra-loucas atrás de qualquer bagulho para poderem fugir da realidade com a desculpa esfarrapada de que são contra o sistema. Gente esquisita é, basicamente, um bando de sujeitos que têm o hábito gozado de dar a bunda após cinco minutos de conversa. Também são as garotas mais horrorosas da via-láctea. Enfim, esta era a tal festa legal em que Eduardo estava. O que mais ele podia fazer? Teve que encher a cara pra agüentar aquele pesadelo, como veremos a seguir.
Assim temos (- Eu não estou legal. Não agüento mais birita). Percebe-se que o jovem Eduardo não está familiarizado com a rotina traiçoeira do álcool. É um garoto puro e inocente, com a mente e o corpo sadios. Bem ao contrário de Mônica, uma notória bêbada sem-vergonha do underground.
Adiante, ficamos conhecendo o momento em que os dois protagonistas se encontraram (E a Mônica riu e quis saber um pouco mais Sobre o boyzinho que tentava impressionar). Vamos por partes: em E a Mônica riu nota-se uma atitude de pseudo-superioridade desumana de Mônica para com Eduardo. Ela ri de um bêbado inexperiente! Mais à frente, é bom esclarecer o que o autor preferiu maquiar. Onde lê-se quis saber um pouco mais leia-se quis dar para! É muita hipocrisia tentar passar uma imagem sofisticada da tal Mônica.
A verdade é que ela se sentiu bastante atraída pelo boyzinho que tentava impressionar! É o máximo do preconceito leviano se referir ao singelo Eduardo como boyzinho. Não é verdade. Caso fosse realmente um playboy, ele não teria ido se encontrar com Mônica de bicicleta, como consta na quarta estrofe (Se encontraram então no parque da cidade A Mônica de moto e o Eduardo de camelo). Se alguém aí age como boy, esta seria Mônica, que vai ao encontro pilotando uma ameaçadora motocicleta. Como é sabido, aos 16 (Ela era de Leão e ele tinha dezesseis) todo boyzinho já costuma roubar o carro do pai, principalmente para impressionar uma maria-gasolina como Mônica.
E tem mais: se Eduardo fosse mesmo um playboy, teria penetrado com sua galera na tal festa, quebraria tudo e ia encher de porrada o esquisitão mais fraquinho de todos na frente de todo mundo, valeu?
Na ocasião do seu primeiro encontro, vemos Mônica impor suas preferências, uma constante durante toda a letra, em oposição a uma humilde proposta do afável Eduardo (O Eduardo sugeriu uma lanchonete Mas a Mônica queria ver filme do Godard). Atitude esta, nada democrática para quem se julga uma liberal.
Na verdade, Mônica é o que se convencionou chamar de P.I.M.B.A (Pseudo Intelectual Metido à Besta e Associados, ou seja, intelectuerdas, alternativos, cabeças e viadinhos vestidos de preto em geral), que acham que todo filme americano é ruim e o que é bom mesmo é filme europeu, de preferência francês, preto e branco, arrastado para caralho e com bastante cenas de baitolagem.
Em seguida Russo utiliza o eufemismo "menina" para se referir suavemente à Mônica (O Eduardo achou estranho e melhor não comentar. Mas a menina tinha tinta no cabelo). Menina? Pudim de cachaça seria mais adequado. Ainda há pouco vimos Mônica virar um Dreher na goela logo no café da manhã e ele ainda a chama de menina? Além disto, se Mônica pinta o cabelo é porque é uma balzaca querendo fisgar um garotão viril. Ou então porque é uma baranga escrota.
O autor insiste em retratar Mônica como uma gênia sem par. (Ela fazia Medicina e falava alemão) e Eduardo como um idiota retardado (E ele ainda nas aulinhas de inglês). Note a comparação de intelecto entre o casal: ela domina o idioma germânico, sabidamente de difícil aprendizado, já tendo superado o vestibular altamente concorrido para Medicina. Ele, miseravelmente, tem que tomar aulas para poder balbuciar "iéis", "nou" e "mai neime is Eduardo"! Incomoda como são usadas as palavras "ainda" e "aulinhas", para refletir idéias de atraso intelectual e coisa sem valor, respectivamente.
Na seqüência, ficamos a par das opções culturais dos dois (Ela gostava do Bandeira e do Bauhaus, De Van Gogh e dos Mutantes, De Caetano e de Rimbaud). Temos nesta lista um desfile de ícones dos P.I.M.B.A., muito usados por quem acha que pertence a uma falsa elite cultural. Por exemplo, é tamanha uma pretensa intimidade com o poeta Manuel de Souza Carneiro Bandeira Filho, que usou-se a expressão "do Bandeira". Francamente, "Bandeira" é aquele juiz que fica apitando impedimento na lateral do campo. O sujeito mais normal dessa moçada aí cortou a orelha por causa de uma sirigaita qualquer. Já viu o nível, né? Só porra-louca de primeira. Tem um outro peroba aí que tem coragem de rimar "Êta" com "Tiêta" e neguinho ainda diz que ele é gênio!
Mais uma vez insinua-se que Eduardo seja um imbecil acéfalo (E o Eduardo gostava de novela) e crianção (E jogava futebol de botão com seu avô). A bem da verdade, Eduardo é um exemplo. Que adolescente de hoje costuma dar atenção a um idoso? Ele poderia estar jogando videogame com garotos de sua idade ou tentando espiar a empregada tomar banho pelo buraco da fechadura, mas não. Preferia a companhia do avô em um prosaico jogo de botões! É de tocar o coração. E como esse gesto magnânimo foi usado na letra? Foi só para passar a imagem de Eduardo como um paspalho energúmeno. É óbvio, para o autor, o homem não sabe de nada. Mulher sim, é maturidade pura.
Continuando, temos (Ela falava coisas sobre o Planalto Central, Também magia e meditação). Falava merda, isso sim! Nesses assuntos esotéricos é onde se escondem os maiores picaretas do mundo. Qualquer chimpanzé lobotomizado pode grunhir qualquer absurdo que ninguém vai contestar. Por que? Porque não se pode provar absolutamente nada. Vale tudo! É o samba do crioulo doido. E quem foi cair nessa conversa mole jogada por Mônica? Eduardo é claro, o bem intencionado de plantão. E ainda temos mais um achincalhe ao garoto (E o Eduardo ainda estava no esquema escola - cinema - clube - televisão). O que o Sr. Russo queria? Que o esquema fosse "bar da esquina - terreiro de macumba - sauna gay - delegacia"?? E qual é o problema de se ir a escola, caralho?!?
Em seguida, já se nota que Eduardo está dominado pela cultura imposta por Mônica (Eduardo e Mônica fizeram natação, fotografia, teatro, artesanato e foram viajar). Por ordem: 1) Teatro e artesanato não costumam pagar muito imposto. 2) Teatro e artesanato não são lá as coisas mais úteis do mundo. 3) Quer saber? Teatro e artesanato é coisa de viado!!!
Agora temos os versos mais cretinos de toda a letra (A Mônica explicava pro Eduardo Coisas sobre o céu, a terra, a água e o ar). Mais uma vez, aquela lengalenga esotérica que não leva a lugar algum. Vejamos: Mônica trabalha na previsão do tempo? Não. Mônica é geóloga? Não. Mônica é professora de química? Não. A porra da Mônica é alguma aviadora? Também não. Então que diabos uma motoqueira transviada pode ensinar sobre céu, terra, água e ar que uma muriçoca não saiba?
Novamente, Eduardo é retratado como um debilóide pueril capaz de comprar alegremente a Torre Eiffel após ser convencido deste grande negócio pelo caô mais furado do mundo. Santa inocência... Ainda em (Ele aprendeu a beber), não precisa ser muito esperto pra sacar com quem... é claro, com a campeã do alambique! Eduardo poderia ter aprendido coisas mais úteis, como o código morse ou as capitais da Europa, mas não. Acharam melhor ensinar para o rapaz como encher a cara de pinga. Muito bem, Mônica! Grande contribuição!
Depois, temos (deixou o cabelo crescer). Pobre Eduardo. Àquela altura, estava crente que deixar crescer o cabelo o diferenciaria dos outros na sociedade. Isso sim é que é ativismo pessoal. Já dá pra ver aí o estrago causado por Mônica na cabeça do iludido Eduardo.
Sempre à frente em tudo, Mônica se forma quando Eduardo, o eterno micróbio, consegue entrar na universidade (E ela se formou no mesmo mês em que ele passou no vestibular). Por esse ritmo, quando Eduardo conseguir o diploma, Mônica deverá estar ganhando o seu oitavo prêmio Nobel.
Outra prova da parcialidade do autor está em (porque o filhinho do Eduardo tá de recuperação). É interessante notar que é o filho do Eduardo e não de Mônica, que ficou de segunda época. Em suma, puxou ao pai e é burro que nem uma porta.
O que realmente impressiona nesta letra é a presença constante de um sexismo estereotipado. O homem é retratado como sendo um simplório alienado que só é salvo de uma vida medíocre e previsível graças a uma mulher naturalmente evoluída e oriunda de uma cultura alternativa redentora. Nesta visão está incutida a idéia absurda que o feminino é superior e o masculino, inferior. É sabido que em todas culturas e povos existentes o homem sempre oprimiu a mulher. Porém, isso não significa, em hipótese alguma, que estas sejam melhores que os homens. São apenas diferentes. Se desde o começo dos tempos o sexo feminino fosse o dominador e o masculino o subjugado, os mesmos erros teriam sido cometidos de uma maneira ou de outra. Por que? Ora, porque tanto homens quanto mulheres e colunistas sociais fazem parte da famigerada raça humana. E é aí que sempre morou o perigo. Não importa que seja Eduardo, Mônica ou até... Renato!
Adolar Gangorra tem 71 anos, é editor do periódico humorístico Os Reis da Gambiarra e não perde um show sequer dos "The Fevers".
submitted by vipzen to brasilivre [link] [comments]


2019.04.23 12:35 gabpac A espetacular saga de uma Kombi Verde e o herói que nunca foi.

No dia 3 de outubro de 1973, uma Kombi verde estacionou na rua Voluntários da Pátria e, de lá, nunca mais saiu.
Apesar de ser central, era um canto da cidade meio abandonado, assim como a Kombi. Havia algumas lojas, duas miseráveis calçadas e uma rua de paralelepípedos cuja principal função parecia ser escoar água da chuva e ter seus bueiros entupidos. A Kombi não tinha séria competição por um espaço no estacionamento e ninguém ligava muito para ela estar ali.
Era uma Kombi de carga, sem janelas na parte de trás. Na frente, a cabine estava limpa e não tinha nenhum objeto aparente, além de uma medalhinha da Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, pendurada na alça do painel do lado do passageiro por uma correntinha.
A região começou a mudar. O bar da esquina virou um restaurante. Depois virou uma padaria. De padaria passou a ser uma confeitaria. Confeitaria que faliu e acabou virando bar de novo. As calçadas não melhoraram muito, mas ficaram mais concorridas. Novas lojas abriaram. Joseane's Modas, ao lado do Chaveiro Arco-Iris Ltda. Do outro lado da rua, a Lotérica Esperança, que foi assaltada e depois fechou. No lugar, abriu a Calçados Luana. A Kombi, que já não tinha mais calotas, continuava ocupando seu espaço, mas agora ganhou uma pichação: "Abaixo a Ditadura!" e pouco tempo depois, mais uma: "Geisel é feio!"
A Kombi não chegou a ganhar uma ficha no DOPS pelo delito, mas foi enquadrada por estacionamento irregular agora que a região tinha mudado de zoneamento. Duas ou três vezes por semana um guardinha botava uma e mais uma multa no limpa-parabrisa. Passava por anarquista e subversiva, a Kombi, cheia de multas nos vidros e aquelas pichações claramente revolucionárias. Mas na bagunça que era a prefeitura as multas foram caindo ao chão e nunca foram cobradas. As que não caíram começaram a amarelar e a servir de decoração ao vidro das janelas.
A rua foi asfaltada, finalmente. Ou, pelo menos, a parte desobstruída da rua, porque a Kombi seguia ali. Não foi removida porque abrigava uma família de gatos e servia de proteção às flores que o dono da nova floricultura plantou nos vãos entre os paralelepípedos debaixo dela. Esperto o dono da floricultura, que espalhou que a Kombi era mal-assombrada, porque não achou que os funcionários da prefeitura iam dar bola para flor ou para gato. Funcionou, mas só porque os funcionários da prefeitura ficaram com preguiça e usaram a maldição como desculpa para não remover a Kombi. A família de gatos cresceu, as flores vicejaram. A história de terror ganhou detalhes e vida própria: Oras a Kombi teria sido abandonada por um guerrilheiro, oras por um jornalista injustamente preso pela ditadura. Torturado, teria morrido numa base da aeronáutica e agora seu fantasma ficava ali, protegendo os gatos e as flores na sua Kombi. Alguém tinha pichado por cima das pichações antigas: "PiRoLiTo é o maior!". O spray falhou na curva do P e ficou parecendo um F, e Firolito ficou sendo o nome do fantasma.
"Na frente da Kombi da Voluntários", ou "Na Kombi do Firolito" começaram a se transformar em indicações geográficas de quem vivia e trabalhava por ali. Uma banca de jornais abriu ali na frente. Firolito Jornais e Revistas. Surgiu mais ou menos quando alguém pichou ali "Diretas Já!".
O dono da banca contava e aumentava a história do grande Firolito, jornalista que havia descoberto escândalos de corrupção descomunais no governo do estado, e assim, havia sido acusado de comunista, preso, torturado e morto. Sua Kombi havia sido largada ali durante a última perseguição policial. Firolito, devoto da Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, largou o veículo e tentou seguir à pé para a casa da namorada que vivia ali perto. A santa não ajudou. Foi pego. Nunca teve chance de avisar alguém que seu gato estava ali. O fantasma, o jornaleiro explicava, havia voltado para proteger seu gato e seus descendentes, e agora protegia aquele pedaço de rua, seus animais e suas flores.
Durante a campanha das diretas, a Kombi ganhou uma faixa com o nome de jornalistas presos durante a ditadura e mais flores. Vários cartazes foram colados pedindo anistia para a então namorada de Firolito que, segundo a história, tinha fugido para o exterior e vivia exilada na Inglaterra.
Não demorou para aparecer uma Isolda qualquer, dizendo que era a namorada do Firolito, contando o quanto ele tinha sido um herói. Contou os belos momentos que passaram na Kombi azul (afinal a cor original já tinha há muitos se transformado numa maçaroca de pichações, oxidação, sujeira e papéis de multas amarelados), que com ela cruzaram o país e nela moraram nos momentos difíceis. Reconheceu um dos gatos que ali vivia: era o Farfalho, o pobre gato do casal, já velhinho, mas ela tinha certeza, era ele. Deu sua bênção ao lugar e permitiu que uma foto sua fosse pendurada no recém aberto Bar do Firolito.
Vários canteiros de flores foram colocados na calçada na frente da Kombi. E um banco. A rua cresceu e ganhou importância. As calçadas foram refeitas e a prefeitura resolveu não se meter na manifestação de amor que a população espontaneamente mantinha ao redor da Kombi. Um vereador de um partido comunista, muito comovido, propôs erguer uma placa no local contando a história do Firolito. Assim, na parede logo ao lado do bar foi afixada uma placa de bronze em homenagem a Joaquim Firolito de Souza, herói nacional.
O bar virou um museu, a banca de revistas virou uma livraria de nicho. O restaurante virou um por-quilo. O prédio do outro lado da rua foi todo reformado, virando a sede de uma grande seguradora. No dia em que Tancredo morreu houve uma sessão ecumênica ao redor da Kombi, em que todos se deram as mãos e cantaram o hino nacional. Sarney veio e alguém pichou um bigode na frente da Kombi. Sarney se foi, o bigode ficou. O bar do Firolito
foi vendido e o novo dono achou que o bigode era uma homenagem ao próprio que, supostamente tinha um bigodão também. Logo um cartum da cara do Firolito, de bigode, virou o logotipo do bar.
Anos depois, quando Lula foi eleito presidente, emocionado, o povo veio ao bar, homenagear Firolito, que teria ficado orgulhoso daquele dia. A floricultura já tinha fechado, virou um banco. Do seu lado, um McDonald's abriu. Uma página de internet com o material do museu foi aberta. Uma referência na Wikipedia foi escrita, com uma foto de Joaquim Firolito de Souza e seu bigode, na frente da Kombi num dia ensolarado numa praia no nordeste.
O vandalismo tomou conta da região. Em letras negras, enormes, alguém pichou "KTM" sobre a Kombi. Outro pichou por cima: "Sussurro é REI". Um mendigo decidiu guardar suas tralhas debaixo do veículo e dormir ali de vez em quando. Vereadores, escandalizados com o descaso criaram o Dia Municipal do Firoliro, pintaram a Kombi de verde e amarelo e botaram um cercadinho de correntes ao redor do lugar. Isso foi logo antes das manifestações espontâneas de 2013. Firoliro estava quase esquecido pelo povo, que passou por ali e se emocionou em ver as cores da bandeira e decidiu abraçar o monumento.
Mas o país tinha mudado. Logo vieram as manifestações contra o governo e pelo impeachment da Dilma. Discursos inflamados contra heróis do passado viraram norma. No dia do Firolito houve manifestação online dos moradores da cidade e região que começaram a discutir nas redes sociais e entender o personagem comemorado. Firolito era na verdade corrupto. Ele fez que desvendou um esquema de corrupção porque não conseguiu extorquir o suficiente das autoridades. Além disso, descobriu-se que trabalhava para organizações comunistas e repassava o dinheiro de corrupção para atividades subversivas. Firolito era um bandido e aquela Kombi havia sido deixada na rua de propósito, para servir de esconderijo para fugitivos do governo. Aquele bigode, todos sabiam, era homenagem a Stalin.
Em uma manifestação pouco antes das eleições de 2018, a turba insandecida atirou-se contra a Kombi. Voaram flores, voaram gatos, voaram multas antigas aplastradas pelo tempo e camadas de tinta. Quebrou-se o parabrisas. Uma pedra acertou de jeito a porta lateral que, depois de 45 anos, finalmente se abriu. Dentro da Kombi havia uma caixa com uma fantasia de palhaço, incluindo peruca e nariz, dezessete bíblias, 4 caixas cheias da mesma edição de uma revistinha de sacanagem do Carlos Zéfiro, duas garrafas de vodka pela metade e uma latinha com maconha mofada.
submitted by gabpac to EscritoresBrasil [link] [comments]


2019.04.23 12:34 gabpac A espetacular saga de uma Kombi Verde e o herói que nunca foi.

No dia 3 de outubro de 1973, uma Kombi verde estacionou na rua Voluntários da Pátria e, de lá, nunca mais saiu.
Apesar de ser central, era um canto da cidade meio abandonado, assim como a Kombi. Havia algumas lojas, duas miseráveis calçadas e uma rua de paralelepípedos cuja principal função parecia ser escoar água da chuva e ter seus bueiros entupidos. A Kombi não tinha séria competição por um espaço no estacionamento e ninguém ligava muito para ela estar ali.
Era uma Kombi de carga, sem janelas na parte de trás. Na frente, a cabine estava limpa e não tinha nenhum objeto aparente, além de uma medalhinha da Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, pendurada na alça do painel do lado do passageiro por uma correntinha.
A região começou a mudar. O bar da esquina virou um restaurante. Depois virou uma padaria. De padaria passou a ser uma confeitaria. Confeitaria que faliu e acabou virando bar de novo. As calçadas não melhoraram muito, mas ficaram mais concorridas. Novas lojas abriaram. Joseane's Modas, ao lado do Chaveiro Arco-Iris Ltda. Do outro lado da rua, a Lotérica Esperança, que foi assaltada e depois fechou. No lugar, abriu a Calçados Luana. A Kombi, que já não tinha mais calotas, continuava ocupando seu espaço, mas agora ganhou uma pichação: "Abaixo a Ditadura!" e pouco tempo depois, mais uma: "Geisel é feio!"
A Kombi não chegou a ganhar uma ficha no DOPS pelo delito, mas foi enquadrada por estacionamento irregular agora que a região tinha mudado de zoneamento. Duas ou três vezes por semana um guardinha botava uma e mais uma multa no limpa-parabrisa. Passava por anarquista e subversiva, a Kombi, cheia de multas nos vidros e aquelas pichações claramente revolucionárias. Mas na bagunça que era a prefeitura as multas foram caindo ao chão e nunca foram cobradas. As que não caíram começaram a amarelar e a servir de decoração ao vidro das janelas.
A rua foi asfaltada, finalmente. Ou, pelo menos, a parte desobstruída da rua, porque a Kombi seguia ali. Não foi removida porque abrigava uma família de gatos e servia de proteção às flores que o dono da nova floricultura plantou nos vãos entre os paralelepípedos debaixo dela. Esperto o dono da floricultura, que espalhou que a Kombi era mal-assombrada, porque não achou que os funcionários da prefeitura iam dar bola para flor ou para gato. Funcionou, mas só porque os funcionários da prefeitura ficaram com preguiça e usaram a maldição como desculpa para não remover a Kombi. A família de gatos cresceu, as flores vicejaram. A história de terror ganhou detalhes e vida própria: Oras a Kombi teria sido abandonada por um guerrilheiro, oras por um jornalista injustamente preso pela ditadura. Torturado, teria morrido numa base da aeronáutica e agora seu fantasma ficava ali, protegendo os gatos e as flores na sua Kombi. Alguém tinha pichado por cima das pichações antigas: "PiRoLiTo é o maior!". O spray falhou na curva do P e ficou parecendo um F, e Firolito ficou sendo o nome do fantasma.
"Na frente da Kombi da Voluntários", ou "Na Kombi do Firolito" começaram a se transformar em indicações geográficas de quem vivia e trabalhava por ali. Uma banca de jornais abriu ali na frente. Firolito Jornais e Revistas. Surgiu mais ou menos quando alguém pichou ali "Diretas Já!".
O dono da banca contava e aumentava a história do grande Firolito, jornalista que havia descoberto escândalos de corrupção descomunais no governo do estado, e assim, havia sido acusado de comunista, preso, torturado e morto. Sua Kombi havia sido largada ali durante a última perseguição policial. Firolito, devoto da Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, largou o veículo e tentou seguir à pé para a casa da namorada que vivia ali perto. A santa não ajudou. Foi pego. Nunca teve chance de avisar alguém que seu gato estava ali. O fantasma, o jornaleiro explicava, havia voltado para proteger seu gato e seus descendentes, e agora protegia aquele pedaço de rua, seus animais e suas flores.
Durante a campanha das diretas, a Kombi ganhou uma faixa com o nome de jornalistas presos durante a ditadura e mais flores. Vários cartazes foram colados pedindo anistia para a então namorada de Firolito que, segundo a história, tinha fugido para o exterior e vivia exilada na Inglaterra.
Não demorou para aparecer uma Isolda qualquer, dizendo que era a namorada do Firolito, contando o quanto ele tinha sido um herói. Contou os belos momentos que passaram na Kombi azul (afinal a cor original já tinha há muitos se transformado numa maçaroca de pichações, oxidação, sujeira e papéis de multas amarelados), que com ela cruzaram o país e nela moraram nos momentos difíceis. Reconheceu um dos gatos que ali vivia: era o Farfalho, o pobre gato do casal, já velhinho, mas ela tinha certeza, era ele. Deu sua bênção ao lugar e permitiu que uma foto sua fosse pendurada no recém aberto Bar do Firolito.
Vários canteiros de flores foram colocados na calçada na frente da Kombi. E um banco. A rua cresceu e ganhou importância. As calçadas foram refeitas e a prefeitura resolveu não se meter na manifestação de amor que a população espontaneamente mantinha ao redor da Kombi. Um vereador de um partido comunista, muito comovido, propôs erguer uma placa no local contando a história do Firolito. Assim, na parede logo ao lado do bar foi afixada uma placa de bronze em homenagem a Joaquim Firolito de Souza, herói nacional.
O bar virou um museu, a banca de revistas virou uma livraria de nicho. O restaurante virou um por-quilo. O prédio do outro lado da rua foi todo reformado, virando a sede de uma grande seguradora. No dia em que Tancredo morreu houve uma sessão ecumênica ao redor da Kombi, em que todos se deram as mãos e cantaram o hino nacional. Sarney veio e alguém pichou um bigode na frente da Kombi. Sarney se foi, o bigode ficou. O bar do Firolito
foi vendido e o novo dono achou que o bigode era uma homenagem ao próprio que, supostamente tinha um bigodão também. Logo um cartum da cara do Firolito, de bigode, virou o logotipo do bar.
Anos depois, quando Lula foi eleito presidente, emocionado, o povo veio ao bar, homenagear Firolito, que teria ficado orgulhoso daquele dia. A floricultura já tinha fechado, virou um banco. Do seu lado, um McDonald's abriu. Uma página de internet com o material do museu foi aberta. Uma referência na Wikipedia foi escrita, com uma foto de Joaquim Firolito de Souza e seu bigode, na frente da Kombi num dia ensolarado numa praia no nordeste.
O vandalismo tomou conta da região. Em letras negras, enormes, alguém pichou "KTM" sobre a Kombi. Outro pichou por cima: "Sussurro é REI". Um mendigo decidiu guardar suas tralhas debaixo do veículo e dormir ali de vez em quando. Vereadores, escandalizados com o descaso criaram o Dia Municipal do Firoliro, pintaram a Kombi de verde e amarelo e botaram um cercadinho de correntes ao redor do lugar. Isso foi logo antes das manifestações espontâneas de 2013. Firoliro estava quase esquecido pelo povo, que passou por ali e se emocionou em ver as cores da bandeira e decidiu abraçar o monumento.
Mas o país tinha mudado. Logo vieram as manifestações contra o governo e pelo impeachment da Dilma. Discursos inflamados contra heróis do passado viraram norma. No dia do Firolito houve manifestação online dos moradores da cidade e região que começaram a discutir nas redes sociais e entender o personagem comemorado. Firolito era na verdade corrupto. Ele fez que desvendou um esquema de corrupção porque não conseguiu extorquir o suficiente das autoridades. Além disso, descobriu-se que trabalhava para organizações comunistas e repassava o dinheiro de corrupção para atividades subversivas. Firolito era um bandido e aquela Kombi havia sido deixada na rua de propósito, para servir de esconderijo para fugitivos do governo. Aquele bigode, todos sabiam, era homenagem a Stalin.
Em uma manifestação pouco antes das eleições de 2018, a turba insandecida atirou-se contra a Kombi. Voaram flores, voaram gatos, voaram multas antigas aplastradas pelo tempo e camadas de tinta. Quebrou-se o parabrisas. Uma pedra acertou de jeito a porta lateral que, depois de 45 anos, finalmente se abriu. Dentro da Kombi havia uma caixa com uma fantasia de palhaço, incluindo peruca e nariz, dezessete bíblias, 4 caixas cheias da mesma edição de uma revistinha de sacanagem do Carlos Zéfiro, duas garrafas de vodka pela metade e uma latinha com maconha mofada.
submitted by gabpac to brasil [link] [comments]


2019.03.23 20:08 raidenkilla Enterre a seleção brasileira

É ridículo o período da história em que estamos vivendo. Negligenciaram completamente a canarinho. Já não bastasse as convocações feitas por empresários, temos que aceitar jogadores sem perspectiva nenhuma de futuro na equipe sendo escalados para "testes".
O Fagner é um ótimo jogador a nível Brasil, mas não faz sentido escalá-lo de lateral direito podendo usar o Militão ali (que vai ser um dos melhores defensores brasileiros da próxima década), usar 90 min o Coutinho que desde que saiu do Liverpool NEM MAIS de lampejo se permite viver, o cara consegue transformar o Firmino num 9 engessado. Tite é uma farsa, é um encantador de cobras. Preparem-se pra mais um fracasso na Copa América.

Querendo ou não... a Seleção Brasileira é uma instituição fracassada atualmente
submitted by raidenkilla to futebol [link] [comments]


2019.03.07 20:53 fidjudisomada UEFA Liga Europa 2018/9, 1.ª mão dos 8-avos-de-final: GNK Dinamo Zagreb 1-0 SL Benfica

DAR A VOLTA NO INFERNO DA LUZ

O Benfica perdeu por 1-0 na visita ao Dínamo Zagreb no primeiro jogo dos oitavos de final da Liga Europa. Falta a segunda parte da eliminatória, marcada para as 20h00 da próxima quinta-feira (14 de março) no inferno do Estádio da Luz, onde efetivamente se decidirá quem avança para a ronda seguinte.
Com algumas alterações no onze, o Benfica apresentou Corchia no lado direito da defesa e Florentino, Gabriel, Gedson e Krovinovic no meio-campo. Frente a um Dínamo que apostou todas as fichas no ponto em que é mais forte, ou seja, as saídas em ataque rápido e contra-ataque, as águias desenharam a primeira oportunidade clara de golo no Estádio Maksimir: uma combinação perfeita com João Félix deixou Grimaldo na cara do guarda-redes da equipa croata, mas o remate do lateral espanhol seria parado por Livakovic (7').
Olmo destacava-se na dinamização das transições velozes do Dínamo, que aos 11' teve Orsic a acelerar na esquerda, a puxar a bola para dentro e a disparar ao lado. O conjunto benfiquista não era eficaz na ligação dos lances ofensivos, nesta fase, e o anfitrião aproveitou para arriscar um pontapé de meia distância por intermédio de Olmo, aos 19', sobressaindo então a categoria de Odysseas, que sacudiu para canto.
Seferovic, aos 31', ficou caído no relvado, em dificuldades físicas. Foi assistido, mas não estava em condições de prosseguir na partida, sendo substituído por Cervi. Com esta modificação, Krovinovic passou a atuar mais sobre o corredor central, próximo de João Félix, a unidade mais adiantada nos encarnados.
O jogo estava indefinido quando, aos 36', o árbitro inglês Michael Oliver considerou que Rúben Dias cometeu falta sobre Olmo já no interior da grande área do Benfica. De penálti, o Dínamo Zagreb adiantou-se no marcador aos 38': Petkovic foi o marcador do único golo da primeira parte (1-0). Gojak, aos 45'+1', ainda rompeu pelo eixo, mas Odysseas estava lá a mostrar serviço.
Aumentando a velocidade na circulação de bola, o Benfica rondou a grande área do Dínamo Zagreb no primeiro quarto de hora do segundo tempo, mas não conseguiu ser incisivo nos últimos metros, diante de um adversário que se fechou bem e procurava converter as recuperações em venenosos contragolpes, exigindo concentração e um estado de alerta máximo por parte dos defensores encarnados.
Florentino saiu aos 58' (entrou Rafa) e Gedson cedeu a posição aos 71' (substituído por Zivkovic). O Benfica variava a matéria-prima nas zonas ofensivas, mas rareavam as bolas de golo. Aos 84', num livre direto, Grimaldo tentou o empate, mas o esférico saiu à figura do guardião Livakovic.
O resultado não se alterou, mas a passagem aos quartos de final está em aberto. Tudo se decide na noite da próxima quinta-feira (14 de março) no Estádio da Luz.

BRUNO LAGE: "ESTAMOS NO INTERVALO, AINDA NÃO ACABOU"

Assim que terminou o desafio no Estádio Maksimir, Bruno Lage reuniu os jogadores e passou-lhes a mensagem: "Estamos a perder por 1-0, mas ainda não acabou. Vamos agora recuperar o melhor possível, enfrentar o Belenenses e depois a 2.ª mão desta eliminatória." A derrota sofrida em Zagreb perante o Dínamo (1-0) nos "oitavos" da Liga Europa é para corrigir na Luz.
Análise ao jogo e abordagem tática
"Não foi o resultado que estávamos à espera. Tivemos uma boa entrada, com uma oportunidade muito clara para marcar, não conseguimos. Eles jogando em 4x3x3 e nós em 4x4x2, prevíamos uma forte pressão dos dois médios adversários sobre os nossos dois médios [Florentino e Gabriel] e ainda um ponta de lança a pressionar os nossos centrais. O nosso grande objetivo com a inclusão de Gedson à direita e Krovinovic à esquerda era jogar por dentro para ocuparem o espaço entre o médio-centro, manter a largura com Corchia à direita e Grimaldo à esquerda e depois ter a dinâmica dos nossos dois avançados, que é muito forte, tanto entre linhas como no ataque à profundidade."
Resultado deixa "tudo em aberto"
"Neste momento estamos a perder, mas ainda não perdemos. É um resultado que deixa tudo em aberto. Foi pena o penálti contra, porque, por aquilo que as equipas fizeram, penso que o resultado certo seria o empate. Faltou-nos ser um pouco mais agressivos no ataque à profundidade e perceber que em determinados momentos temos de procurar situações entre linhas para rematar à baliza, criar remates de longa distância. Está tudo em aberto. Agora é recuperar e preparar a equipa para o próximo jogo do Campeonato, que é com o Belenenses."
O Dínamo surpreendeu?
"Não, não nos surpreendeu. O Dínamo jogou num bloco baixo, com pressão sobre os nossos dois médios, procurando estar muito compacto numa primeira fase. Tivemos a primeira grande oportunidade com o nosso defesa-esquerdo isolado na cara do guarda-redes. Foi uma equipa que se juntou muito à sua área, que cria uma linha de seis homens, com os três médios e o avançado a ser a grande referência. Pelo facto de ter chegado à vantagem ficou muito mais confortável no jogo."
Lesão de Seferovic condicionou?
"Tentámos corresponder com o Cervi na esquerda, procurando fazer os mesmos movimentos. É verdade que, depois de um início muito bom, foi uma situação que nos condicionou [aos 31' de jogo], porque o Seferovic é um jogador que tem um ataque à profundidade muito interessante. Com a saída dele, deixámos de ter um ataque à profundidade como costumamos ter e isso deu algum conforto à defesa do Dínamo. Mas não podemos usar isso para justificar o que fizemos de menos bom. Fomos corrigindo, tentámos, mas não tivemos o ataque à profundidade, entre defesas, e também não conseguimos procurar os espaços ao lado dos três médios para rematar à baliza."
"Desgaste é o quê?"
"Já viram vários tipos de lesões... O desgaste é o quê? É o agarrar na parte posterior da coxa. Não foi o caso de Seferovic. A lesão acontece num salto. Isto pode suceder quando se disputa uma bola no ar e um pé chega primeiro ao chão, e nesses casos pode haver um toque num adutor. Não foi numa corrida. Vou ser muito claro: jogámos no sábado e tivemos dias suficientes para uma ótima recuperação. Se eu sentisse que o Seferovic estava em risco, ele não entraria no onze. Vai ser avaliado e depois, em função disso, tomaremos as nossas decisões. Antes disso, teremos de perceber muito bem o que é o Belenenses e definir uma estratégia boa que nos permita continuar nesta caminhada no Campeonato, em que estamos em primeiro e queremos continuar."
Juntou os jogadores no final. Que mensagem?
"Disse-lhe que é um jogo que está no intervalo, estamos a perder por 1-0, mas ainda não acabou. Vamos agora recuperar o melhor possível, enfrentar o Belenenses [na 25.ª jornada do Campeonato] e depois a 2.ª mão desta eliminatória na quinta-feira [também no Estádio da Luz]."

Coisas e Loisas

  • Filip Krovinovic é titular pela 1ª vez nas competições europeias com a camisola do Benfica. Não jogava de início na Europa desde agosto de 2016 - Rio Ave x Slavia de Praga;
  • 7 jogadores foram titulares no Benfica nas 3 primeiras partidas europeias de Bruno Lage: Vlachodimos; Rúben Dias; Ferro; Florentino; Gedson Fernandes; João Félix; Haris Seferovic;
  • Em 15 jogos com Bruno Lage no comando, é apenas a 3ª vez que o Benfica chega ao intervalo sem golos marcados : V. Guimarães x Benfica - Liga; Benfica x Galatasaray - Liga Europa; DÍNAMO ZAGREB x BENFICA - LIGA EUROPA;
  • É o 5º penálti sofrido pelo Benfica em 2018/2019: Benfica x Sporting - Nani (golo); Belenenses SAD x Benfica - Eduardo (golo); Benfica x Boavista - Mateus (falhado); Sporting x Benfica - Bas Dost (golo); DÍNAMO ZAGREB x BENFICA - PETKOVIC (golo);
  • Andrija Zivković estreia-se na edição 2018/2019 da Liga Europa. Não jogava na 2ª competição mais importante de clubes europeus desde dezembro de 2015 - Partizan 1x3 Augsburgo;
  • Ao 15º jogo, eis a 2ª derrota de Bruno Lage no comando técnico do Benfica: FC Porto 3x1 Benfica - Taça da Liga; DÍNAMO ZAGREB 1x0 BENFICA - LIGA EUROPA;
  • Com Bruno Lage no comando, é apenas a 2ª vez que o Benfica não marca golos: Benfica 0x0 Galatasaray - Liga Europa; DÍNAMO ZAGREB 1x0 BENFICA - LIGA EUROPA;
  • É a 15ª vez que o Benfica perde fora por 1x0 na 1ª mão de competições europeias: 5 passagens; 9 eliminações;
  • É a 3ª vez que o Benfica passa 2 jogos europeus consecutivos sem marcar (SÉC XXI): Benfica 0x0 Barcelona - Barcelona 2x0 Benfica (2005/2006); Juventus 0x0 Benfica - Sevilla 0x0 Benfica (2013/2014); BENFICA 0x0 GALATASARAY - DÍNAMO ZAGREB 1x0 BENFICA (2018/2019);
  • Neste século, é já é a 8ª época em que o Benfica soma 4 (ou mais) derrotas europeias: 2003/2004 - 4; 2006/2007 - 5; 2007/2008 - 5; 2008/2009 - 4; 2010/2011 - 5; 2012/2013 - 4; 2017/2018 - 6; 2018/2019 - 4;
  • Derrotas europeias do Benfica em 2018/2019: Benfica 0x2 Bayern de Munique; Ajax 1x0 Benfica; Bayern de Munique 5x1 Benfica; DÍNAMO ZAGREB 1x0 BENFICA;
  • O Benfica, depois da derrota perante o Dínamo, continua sem ganhar e marcar em solo croata: Dínamo Zagreb 0x0 Benfica - Taça das Taças (1980/1981); Hajduk Split 0x0 Benfica - Liga dos Campeões (1994/1995); DÍNAMO ZAGREB 1x0 BENFICA - LIGA EUROPA (2018/2019).

Multimédia

Eleição do MVP

Talking Points

Preparámos uma lista de temas para conversas sobre este jogo, mas estejam à vontade para passar por cima dela, ou pegar num ou alguns, e apresentar as tuas observações e expressar opiniões:
  1. O resultado foi justo? Na tua opinião, o que faltou à equipa para alcançar um resultado ou exibição melhor?
  2. Está satisfeito com a resposta da equipa hoje? Qual foi o aspeto do jogo que mais te impressionou?
  3. Com o benefício da visão a posteriori, que alterações farias ao 11 inicial?
  4. Em retrospetiva, o que farias diferente ao longo do jogo? Como avalia os critérios de substituição? Trouxeram algo diferente ao jogo?
  5. Qual foi o jogador que mais se destacou com a camisola do SL Benfica? Nessa nota, quem foi a maior deceção?
  6. Quais são os aspetos positivos que o SL Benfica pode tirar deste jogo?
  7. Enfrentaremos a Belenenses SAD na próxima partida, no Estádio da Luz, em jogo a contar para a 25.ª jornada da Primeira Liga 2018/9. Quais as perspetivas?

Relacionados

submitted by fidjudisomada to benfica [link] [comments]


2019.02.03 20:35 fidjudisomada Primeira Liga 2018/9, #20: Sporting CP 2-4 SL Benfica

ENORME BENFICA GOLEOU O RIVAL

Com uma exibição irrepreensível, o Benfica foi rei no dérbi disputado no Estádio José Alvalade e venceu por 2-4 na 20.ª jornada da Liga NOS. Enorme em todos os momentos do dérbi, a equipa encarnada goleou o rival com um futebol de qualidade e, 21 anos depois, voltou a apontar quatro golos no reduto leonino num jogo de Campeonato (faturara tantos em 2010, mas nas meias-finais da Taça da Liga).
Uma entrada autoritária encaminhou fácil e naturalmente o Benfica para as zonas de ataque. Aos 4', após uma vistosa e rápida ligação na esquerda, Grimaldo cruzou com perigo e foi por muito pouco que as águias não se colocaram em vantagem. O golo tardou, mas pouco: aos 11', Gabriel, com um passe fantástico, lançou Grimaldo na asa esquerda, de onde o lateral centrou para o cabeceamento mortífero de Seferovic (0-1). O internacional suíço, principal goleador dos encarnados na Liga NOS, aumentava para 11 golos a sua conta pessoal na prova.
Dava Benfica, Benfica e mais Benfica no relvado de Alvalade. Seferovic, aos 21', quase oferecia o 0-2 a Rafa. No lance seguinte, João Félix tirou um adversário da frente e, ainda fora da área, chutou de pé esquerdo para dentro da baliza leonina (22'), mas a equipa de arbitragem, liderada por Artur Soares Dias, anularia o golo depois de ver as imagens, considerando ter existido uma falta prévia no início da jogada.
Endiabrado e confiante, Seferovic soltou-se na área do Sporting aos 24' e disparou para defesa de Renan. O 0-2 seria festejado, sim, aos 36', num lance em que Seferovic, pelo corredor central, fez um passe a rasgar, isolando João Félix, que, na cara do guardião sportinguista, atirou certeiro.
Na primeira parte, o Sporting viu-se praticamente apenas num lance, mas dele resultou o golo de Bruno Fernandes (1-2), com um remate cruzado na direita da área após passe de Nani a partir da ala central (43'). Foi o primeiro e único remate do Sporting na área, contra seis do Benfica na etapa inicial do dérbi.
O Benfica reentrou mandão e conquistou um livre no lado direito do ataque (falta sobre João Félix). Pizzi cobrou a falta (47') e colocou a bola à disposição de Rúben Dias, imponente nas alturas, cabeceando para junto do poste direito, sem hipóteses de defesa para Renan (1-3).
O central das águias estreou-se a marcar nesta edição da Liga NOS e Pizzi, o rei das assistências da competição, aumentou para nove o número de passes para golo.
Jardel, de cabeça, quase imitava o companheiro do eixo da defesa, numa finalização aos 54' após canto batido por Pizzi na direita. Pouco depois (56'), o Benfica marcou, mas teve o golo anulado (o segundo no dérbi), desta feita por fora de jogo assinalado a Seferovic.
De bola parada, Raphinha procurou visar a baliza encarnada aos 62', com a bola ainda a raspar no poste direito. Mas Odysseas estava lá.
Volvidos dez minutos, João Félix fugiu na esquerda, entrou na área e, quando tentava contornar Renan, foi derrubado pelo guardião leonino. Penálti para o Benfica e cartão amarelo mostrado a Renan!
Pizzi, da marca dos 11 metros, chutou para a esquerda, Renan voou, ainda tocou no esférico, mas este levava o golo como destino: 1-4 para os encarnados aos 73'.
O 1-5 esteve para ser uma realidade aos 75', mas Seferovic acertou no poste depois de um cruzamento de Pizzi no lado direito. João Félix ainda fez a recarga, mas a bola subiu e sobrevoou a barra. Foi a última intervenção do jovem atacante na partida (um golo válido, um golo anulado e ainda um penálti conquistado!), sendo rendido por Cervi aos 76'.
Aos 82', um dos casos do jogo: alívio deficiente da defensiva do Benfica e remate de Bruno Gaspar; a bola acabou por sobrar para Bas Dost, mas Odysseas saiu rápido e defendeu de forma incompleta. Rúben Dias foi rápido a reagir e afastou o esférico antes de este passar a linha de golo. O Sporting reclamou penálti de Odysseas sobre Bas Dost e Artur Soares Dias foi ver as imagens do lance.
Decidiu então o árbitro apontar para o castigo máximo e mostrar cartão vermelho direto a Odysseas (85'). Svilar entrou (saiu Rafa), adivinhou o lado para onde Bas Dost chutou no penálti, mas não conseguiu defender a bola (2-4 aos 89').
Artur Soares Dias deu sete minutos de tempo adicional e estes passaram depressa, com uma excelente gestão dos acontecimentos por parte do Benfica, que selou o quinto triunfo seguido na Liga NOS sob o comando de Bruno Lage.

BRUNO LAGE: “RESULTADO REFLETE A NOSSA EVOLUÇÃO E O NOSSO TRABALHO”

O treinador do Benfica, Bruno Lage, analisou a exibição e a vitória encarnada, por 2-4, no dérbi da 20.ª jornada da Liga NOS. Considerou o triunfo justo, elogiou a entrada forte da equipa e pediu a mesma resposta para o duelo de quarta-feira, no Estádio da Luz, para a Taça de Portugal.
Trabalho do treino refletido no jogo e no resultado
“É isto que se tem visto nos treinos. Pedimos aos jogadores que colocassem em prática o que têm feito nos treinos, com qualidade. Senti, independentemente do resultado, que o nosso jogo saiu bem e fizemos um bom jogo. Estou satisfeito pela exibição.”
“Penso que a vitória é justa. Fomos a melhor equipa durante o jogo e o resultado reflete a nossa evolução, o nosso trabalho e o que pretendemos para a equipa.”
Entrada forte no dérbi
“Tivemos 40 minutos fantásticos, com uma transição defensiva muito forte, recuperámos muitas bolas no nosso meio-campo ofensivo, e isso foi um ponto de partida para a construção deste resultado e desta exibição. Temos de prolongar estes 40 minutos no tempo.”
As contas são jogo a jogo
“Contas? Ainda estou a fazer as contas dos quatro reforços que vieram da equipa B, ainda não sei quanto é que eles valem. Essas são as contas que tenho de fazer. As do adversário não me compete a mim fazer.”
Não há ‘ses’ no futebol
“No futebol não há o ‘se’, mas sim o que fazemos. Não são os ‘ses’ que interessam, pelo menos para mim.”
A importância da recuperação física
“A nossa intenção é treinar de uma determinada forma e temos convencido os jogadores a treinar assim. A nossa recuperação [física] também é feita em grande intensidade. Trabalhamos num volume mais baixo, mas com maior intensidade. Isso tem dado frutos. Cada equipa tem a sua forma de trabalhar, há jogadores que recuperam melhor do que outros, temos de perceber o que é um jogador de 20 anos a recuperar e um de 30. Defrontámos uma grande equipa e isso reflete a qualidade da nossa exibição.”
Voltar a responder bem na quarta-feira
“Será outro jogo, mas o que nos dá conforto é o que estamos a construir. É treino a treino, jogo a jogo. Estamos a construir a nossa identidade de jogo; estamos satisfeitos e focados.”
“Na quarta-feira temos de voltar a responder desta forma. Essa é a nossa mentalidade, a nossa forma de estar e é essa pressão que gosto de ter.”
Equipa a crescer todos os dias
“Desde que estou à frente da equipa, juntamente com a minha equipa técnica, tenho sentido que estamos a crescer de jogo para jogo, mas queremos aumentar o nosso volume de jogo com qualidade.”
“Tivemos uma entrada forte no deafio. A nossa transição defensiva está cada vez mais forte, estamos juntos, compactos e a crescer nesse momento. Isso é uma mais-valia. Demos pouco espaço ao Sporting e tivemos critério com bola na exploração dos espaços que o adversário nos dava. A equipa começou a ter mais bola e ficámos mais confortáveis no jogo.”
União entre equipa e adeptos
“Mostramos a evolução no treino, o trabalho no jogo. Os adeptos precisam de uma equipa assim e uma equipa que joga assim precisa do apoio dos adeptos.”

Coisas e Loisas

  • Benfica a marcar 4 + golos em casa dos grandes rivais na Liga: 1936 SCP 2x4; 1937 SCP 1x4; 1942 SCP 2x4; 1943 FCP 2x4; 1974 SCP 3x5; 1994 SCP 3x6; 1998 SCP 1x4; 2019 SCP 2x4;
  • Apesar de ter apenas 5 jogos no campeonato, ainda é o único treinador das águias só com vitórias. Top 5 % vitórias na Liga (Benfica): 100% Bruno Lage [5J] ; 83% Jimmy Hagan [89J]; 81% Riera [59J]; 80% Czeizler [26J]; 80% Cândido Tavares [10J];
  • Benfica a marcar 4+ golos em casa do Sporting: 2019 V2-4, D1 B. Lage; 2010 V1-4, TL Jesus; 1998 V1-4, D1 Souness; 1994 V3-6, D1 Toni; 1974 V3-5, D1 F. Cabrita; 1942 V1-4, D1 Biri; 1937 V1-4, D1 Hertzka; 1910 V0-4, Camp. Lisboa Cosme Damião;
  • Marcaram nos dois primeiros dérbis pelo Benfica frente ao Sporting: 2019 João Félix; 2009 Reyes; 1991 Isaías; 1979 João Alves; 1963 Eusébio; 1960 José Augusto; 1959 Santana; 1954 Salvador Martins; 1951 José Águas;
  • Haris Seferovic estreia-se a marcar frente ao Sporting (2 jogos). Após 5 clássicos (vs FCP/SCP) marcou 2 golos, e de forma consecutiva a contar para a Liga NOS 18/19. O avançado suíço marcou nos 5 jogos da Liga com Bruno Lage no comando [7 golos];
  • Não se marcava um golo de cabeça num dérbi em Alvalade [SCPxSLB] desde Agosto 2013: 2018/19 Haris Seferovic [SLB]; 2013/14 Fredy Montero [SCP];
  • Nos últimos 10 golos (desde 2016/17) em dérbis entre Sporting e Benfica, 50% foram de cabeça: Seferovic [SLB]; João Félix [SLB]; Gelson Martins [SCP]; Bas Dost [SCP]; Raúl Jiménez [SLB];
  • Foi preciso esperar 82 anos para ver um jogador tão jovem a marcar nos 2 primeiros dérbis SCP e SLB: 2019 João Félix, Benfica [19 anos, 2 meses e 25 dias]; 1937 Espírito Santo, Benfica [17 anos, 5 meses e 13 dias]; 1937 Peyroteo, Sporting [19 anos, 9 meses e 10 dias];
  • Há mais de 6 anos que o Benfica não marcava 3+ golos em Alvalade: 2019 Seferovic, João Félix e Rúben Dias; 2012 Carozo x3
  • Após 7 jogos Rúben Dias marcou o primeiro golo em dérbis [vs SCP/FCP];
  • Benfica em vantagem ao intervalo em Alvalade, terminou o jogo com uma vitória em 70% das partidas. Para ver uma reviravolta, na Liga, do Sporting em Alvalade frente ao Benfica no 2.º tempo é preciso recuar 65 anos!!!
  • Há quase 21 anos que o Benfica não marcava 4+ golos em Alvalade: 2019 SCP [1-4] SLB, Seferovic, João Félix, Rúben Dias e Pizzi; 1998 SCP 1-4 SLB, Poborsky, José Sousa, Dean e João Vieira Pinto;
  • 40 anos depois um português marca nos dois primeiros dérbis! Últimos a marcar nos dois primeiros dérbis entre leões e águias: 2019 João Félix [SLB]; 2015 Teo Gutiérrez [SCP]; 2009 Reyes [SLB]; 2002 Jardel [SCP]; 1991 Isaías [SLB]; 1979 João Alves [SLB];
  • HISTÓRICO!!! O Benfica iguala o número de vitórias do Sporting em Alvalade no dérbi lisboeta [32 vitórias] a contar para a Liga Portuguesa [85 jogos].
  • Pela primeira vez em largos anos, um rival iguala o número de vitórias em casa do adversário para a Liga: SCP 32 - 32 SLB; SLB 46 - 15 SCP; SLB 43 - 16 FCP; FCP 50 - 13 SLB; FCP 46 - 14 SCP; SCP 45 - 19 FCP

Multimédia

Eleição do MVP

Talking Points

Preparámos uma lista de temas para conversas sobre este jogo, mas estejam à vontade para passar por cima dela, ou pegar num ou alguns, e apresentar as tuas observações e expressar opiniões:
  1. O resultado foi justo? Na tua opinião, o que faltou à equipa para alcançar um resultado ou exibição melhor?
  2. Está satisfeito com a resposta da equipa hoje? Qual foi o aspeto do jogo que mais te impressionou?
  3. Com o benefício da visão a posteriori, que alterações farias ao 11 inicial?
  4. Em retrospetiva, o que farias diferente ao longo do jogo? Como avalia os critérios de substituição? Trouxeram algo diferente ao jogo?
  5. Qual foi o jogador que mais se destacou com a camisola do SL Benfica? Nessa nota, quem foi a maior deceção?
  6. Quais são os aspetos positivos que o SL Benfica pode tirar deste jogo?
  7. Enfrentaremos novamente o Sporting CP na próxima partida, no Estádio da Luz, em jogo a contar para a 1.ª rodada das meias-finais da Taça de Portugal 2018/9. Quais as perspetivas?

Relacionados

submitted by fidjudisomada to benfica [link] [comments]


2018.12.23 20:24 fidjudisomada Primeira Liga 2018/9, #14: SL Benfica 6-2 SC Braga

BENFICA SEIS ESTRELAS!

Competente e mortífero, o Benfica venceu o Braga por 6-2 na 14.ª jornada da Liga NOS. Praticamente 13 meses depois, as águias voltaram a marcar meia dúzia de golos numa só partida do campeonato na Catedral (não o faziam desde a receção ao V. Setúbal em 26 de novembro de 2017). Os encarnados construíram o sétimo triunfo seguido (estão na melhor série da época).
Com uma atuação digna de nota máxima, a equipa orientada por Rui Vitória foi a primeira a apontar seis golos num jogo nesta edição da Liga NOS, sendo já, antes da conclusão do V. Guimarães-Sporting, a mais realizadora da principal competição nacional (31 golos).
Uma ligação perfeita entre a equipa e os adeptos no Estádio da Luz conduziu o Benfica a uma exibição segura, empolgante e recheada com golos no primeiro tempo da partida com os bracarenses.
Depois de vários ataques e de diversas tentativas para descompor a defensiva arsenalista, as águias, pela visão de Jonas, rasgaram uma entrada pelo eixo, com Pizzi a dominar a bola picada sobre os centrais, mas a ser desfeiteado por um adversário quando se preparava para armar o remate. Era um aperitivo para o que viria a seguir.
Um lance bem trabalhado, aos 19', teve como consequência um cruzamento de Pizzi, a partir da esquerda da área, à procura de Jonas perto do poste contrário; o Pistolas disparou de primeira, mas torto, gora-se uma clara oportunidade para agitar as redes da equipa minhota.
[GOLO: 1-0] Após nova ameaça, os comandados de Rui Vitória saltaram para a frente do marcador. Grimaldo, sobre a asa esquerda, prolongou a ofensiva com um passe rasteiro na direção de Pizzi, que recebeu, avançou, derivou para dentro e, pisando já na grande área, atirou cruzado, com colocação e força. Tiago Sá bem se estirou, mas não tinha maneira de suster o pontapé do camisola 21 do Benfica.
O Braga não dispunha de grandes espaços na zona ofensiva e foi com remates executados em terrenos exteriores que esboçou a reação. Depois de Ricardo Horta (23') atirar por alto, Fransérgio disparou de meia distância e fez a bola roçar na parte superior da barra, com Odysseas a voar (24'). Dyego Sousa, aos 26', escapou na direita, mas não teve ângulo para melhor do que um tiro que levou o esférico a tocar nas malhas laterais.
O melhor momento reativo dos bracarenses na etapa inicial aconteceu aos 34', quando Ricardo Horta recebeu um passe curto na área para ficar frente a frente com Odysseas, perdendo o duelo com o guarda-redes das águias.
[GOLO: 2-0] Implacável, o Benfica abriu o laboratório aos 39' para elevar a contagem. Zivkovic, no lado direito, executou o pontapé de canto e, no meio da área, Jardel movimentou-se para iludir a marcação e saltar mais alto do que o guarda-redes Tiago Sá, cabeceando para as malhas.
Insaciável, o Benfica partiu em busca do 3-0 ainda antes de se atingir o tempo de intervalo, mas Jonas, no cara a cara com Tiago Sá, não conseguiu picar a bola sobre o corpo do guardião arsenalista (41'). Em cima do minuto 45, Cervi importunou Esgaio, que errou num primeiro instante, mas foi capaz de corrigir logo a seguir, cortando para canto.
Disposto a ampliar a diferença e não dar esperanças ao visitante, o Benfica arrancou com velocidade e eficácia na segunda parte.
[GOLO: 3-0] Aos 48', Cervi, pela esquerda, lançou Grimaldo, que entrou na área, cruzou e atacou a bola devolvida pelo corte de Marcelo Goiano, rompendo depois entre este e Bruno Viana, para bater Tiago Sá com um remate simples junto ao poste mais próximo.
[GOLO: 3-1] Apesar do diferencial, o Braga esforçou-se por atenuar os estragos que o vendaval ofensivo do Benfica ia provocando no relvado da Catedral. Sequeira, aos 51', subiu na esquerda e cruzou para um golpe de cabeça certeiro de Dyego Sousa.
Os encarnados somavam lances de entendimento e combinações rápidas nos últimos metros do terreno de jogo, espalhando instabilidade na defensiva bracarense.
[GOLO: 4-1] Fruto de nova articulação rápida das suas unidades mais incisivas, o Benfica alargou o recital e deu-lhe outra expressão aos 54', quando Gedson largou a bola para a entrada de Cervi na esquerda da área, de onde o internacional argentino cruzou rasteiro para a emenda mortífera de Jonas na pequena área.
Com muita qualidade combinada nas zonas de decisão, o Benfica continuou a dar robustez à sua exibição e aos números no marcador, mesmo se as peças iam mudando. Jonas, aos 62', foi o primeiro jogador a sair na equipa encarnada, sendo rendido por Seferovic.
[GOLO: 5-1] André Almeida, aos 62', fez um arremesso lateral na direita, solicitando o recém-entrado Seferovic, que serviu, com um passe curto, a infiltração de Zivkovic na direita, com o sérvio a centrar para a entrada veloz e certeira de Cervi, a concluir o bonito lance de ataque com o pé esquerdo.
Em mais um lance de bola parada, o Benfica criou dificuldades aos arsenalistas aos 66'. Jardel, no seguimento de um livre batido sobre o flanco esquerdo, impôs-se no duelo aéreo e Tiago Sá, em cima da linha de baliza, teve de sacudir o esférico para canto.
[GOLO: 6-1] No desenvolvimento do pontapé de canto, uma combinação entre Pizzi e Zivkovic deixou o português em posição para serpentear na esquerda da área minhota, cruzando para corte de cabeça de Claudemir. O esférico caiu uns metros à entrada da área, onde estava André Almeida, que sem cerimónias, aplicou um poderoso e colocado tiro de pé esquerdo. A bola entrou no ângulo superior! Foi o sexto jogador diferente a faturar pelas águias neste desafio.
Ainda antes de Conti entrar em ação para render Jardel no eixo da defesa benfiquista, o Braga acercou-se da área de Odysseas.
[GOLO: 6-2] João Novais, aos 73', teve liberdade para recolher um passe da direita e chutar de pé direito para o interior da baliza.
Krovinovic substituiu Cervi aos 79' e as águias tiveram energia renovada na intermediária para manter a partida sob controlo, espreitando a possibilidade de alcançar um sétimo golo, que, no entanto, não chegaria.

RUI VITÓRIA: “EXIBIÇÃO DE GRANDE CATEGORIA”

Era preciso um SL Benfica muito forte para derrotar um SC Braga muito forte também! Foram estas as palavras de Rui Vitória na antevisão ao desafio da 14.ª jornada da Liga NOS. A equipa cumpriu e interpretou na perfeição, e a consequência foi uma goleada, por 6-2, com uma exibição de “tremenda alma”, analisou o treinador após o encontro.
O trunfo para a goleada
Foi uma excelente partida da nossa parte, uma excelente exibição, com os nossos jogadores a saberem aquilo que tínhamos de fazer para derrotar este excelente Braga. Quero dar os parabéns aos meus jogadores, foi uma exibição de grande categoria. Acima de tudo soubemos muito bem os tempos que tínhamos de atacar e soubemos muito bem como controlar a força que o Braga tem. Uma palavra ao Braga, é uma excelente equipa, está muito bem trabalhada pelo Abel e hoje o que se passou aqui não é a realidade do que tem sido o campeonato do Braga. É uma equipa que tem muita qualidade, mas nós hoje fomos fortes e soubemos muito bem quando atacar, como atacar e ao, mesmo tempo, como defender e esse foi, de facto, o nosso grande trunfo.”
Eficácia ofensiva vs. reação à perda de bola
“Gostei de tudo. É evidente que os dois golos sofridos foram aquilo que não queríamos, mas também, quem marca seis golos e cria as situações que nós criámos, golos bonitos, tenho de ser, de certa forma, condescendente com os meus jogadores. Os meus jogadores interpretaram tudo na perfeição, tiveram uma alma tremenda, à Benfica. A equipa jogou muito solta, muito determinada e começámos desde muito cedo a ir para uma grande exibição. Fomos muito fortes em muitos aspetos!”
A retoma e os objetivos
“O trabalho é feito desta forma. Temos de continuar com os pés bem assentes na terra! Evidentemente que temos muto trabalho pela frente. Ganhámos um jogo, sabemos muito bem aquilo que estamos a fazer, vamos somando vitórias, somando pontos e é isso que queremos. Agora, é saborear esta vitória, festejar com os jogadores e passar o Natal bem. Desejo um bom Natal a todos e, em particular aos Benfiquistas, umas excelentes festas.”
Orgulho dos Benfiquistas
“Foi uma exibição de gala, de grande categoria! Naturalmente, os benfiquistas irão para casa contentes, mais confiantes e orgulhosos com aquilo que a equipa fez. Queríamos a vitória para somar mais três pontos e conseguimos isso com brilhantismo. Não era uma questão de fazer as pazes, era uma questão de vencer e vencemos justamente. Este triunfo traz três pontos, os mesmo três pontos que trouxemos da Madeira, de Setúbal e dos últimos jogos que fizemos. Traz-nos um sentimento de satisfação e confiança. Fomos poderosos, fortes e dominámos praticamente todos os momentos jogo.”
Conhecimento profundo do adversário e a exibição de gala
“É uma consequência do trabalho. As alterações que fizemos no jogo em Montalegre eram já a preparar este e, depois, não o preparámos só do ponto de vista de alguns jogadores que tinham de recuperar ou descansar, mas também na forma como olhámos para o jogo em si e para o adversário. Estávamos muito cientes do Braga que ia aparecer na Luz. Soubemos controlar o jogo dos dois pontas de lança, bem como a saída a três e, ao mesmo tempo, fomos pressionantes e controladores do espaço interior. Com bola, evitámos sempre as parelhas, 3x2, 4x3… criando pequenas dinâmicas e causando assim mossa na equipa do Braga. Para além de controlarmos praticamente todos os momentos do jogo, os jogadores também estiveram inspirados para fazerem os golos que fizeram.”

Coisas e Loisas

  • Pizzi fez o 7.º golo esta temporada e ultrapassa o registo da época passada; a sua melhor temporada continua a ser 2016/17 com 13 remates certeiros. O médio português não marcava há 4 meses pelos encarnados; tinha feito 6 golos no arranque da época (7 jogos);
  • Benfica abre o marcador há 7 jogos consecutivos, o melhor registo do clube nesta temporada. O SC Braga não sofria um golo de bola corrida desde a derrota no Dragão por 1-0 aos 88 minutos, Soares, frente ao FC Porto.
  • Jardel fez 2 dois 3 golos do Benfica na sequência de um pontapé de canto, no 2.º jogo consecutivo: vs Braga, canto de Zivkovic... golo de cabeça; vs Montalegre, canto de Zivkovic... golo de cabeça de Conti; vs PAOK, canto de Pizzi... golo de cabeça;
  • Álex Grimaldo iguala a sua época mais concretizadora: 4 Benfica 2018/19; 4 Barcelona B 2014/15; Marcou 2 golos nos últimos 3 jogos que realizou pelos encarnados. Foi a 1.ª vez que marcou e assistiu num jogo de águia ao peito;
  • Jonas marcou o 8.º golo frente ao SC Braga, é a 7.ª equipa mais visada pelo avançado brasileiro desde que chegou às águias. Marcou 8 golos nos últimos 9 jogos pelo Benfica (ficou em branco em Munique). Se contarmos apenas as provas nacionais, são 7 os jogos consecutivos;
  • Com os 6 golos frente ao SC Braga, o Benfica passa a ser o melhor ataque da Liga NOS 2018/19. Os arsenalistas eram a melhor defesa (juntamente com o FC Porto) quando entraram no relvado da Luz, agora é a 6.ª defesa mais batida do campeonato.
  • Há quase dois anos que o Estádio da Luz não via 8+ golos num jogo: Dez. 2018 vs SC Braga V 6-2, Liga; Jan. 2017 vs Leixões V 6-2, Taça de Portugal. A última vez que os encarnados marcaram 6 golos na Liga foi há 1 ano frente ao V. Setúbal (V 6-0);
  • Foi a 3.ª goleada do Benfica na Liga NOS 2018/19, igualando Sporting e FC Porto no topo da lista. Foi a 2.ª goleada consecutiva dos encarnados na Luz, em jogos a contar para a Liga (Feirense e SC Braga) e novamente por quatro golos de diferença;
  • Nunca o Benfica tinha marcado tantos golos num mês em 2018/19: 16 golos em Dezembro (falta um jogo); 13 golos em Agosto (agora, o 2.º melhor mês). Hoje, marcou tantos golos (6) como tinha marcado nos últimos 5 jogos;
  • Benfica vence há 7 jogos consecutivos, o melhor registo desde Março. O melhor registo de Rui Vitória no Benfica são 11 triunfos consecutivos. Foi a 7.ª vez que o técnico somou este número de vitórias desde que chegou ao Benfica em 2015/16;
  • Há 34 anos que o Benfica não marcava 6+ golos ao SC Braga. Foi a 2.ª vez nos últimos 2 anos (disputaram-se 6 partidas) que os encarnados venceram os bracarenses por uma diferença de 4 golos.

Multimédia

Eleição do MVP

Talking Points

Preparámos uma lista de temas para conversas sobre este jogo, mas estejam à vontade para passar por cima dela, ou pegar num ou alguns, e apresentar as tuas observações e expressar opiniões:
  1. O resultado foi justo? Na tua opinião, o que faltou à equipa para alcançar um resultado ou exibição melhor?
  2. Está satisfeito com a resposta da equipa hoje? Qual foi o aspeto do jogo que mais te impressionou?
  3. Com o benefício da visão a posteriori, que alterações farias ao 11 inicial?
  4. Em retrospetiva, o que farias diferente ao longo do jogo? Como avalia os critérios de substituição? Trouxeram algo diferente ao jogo?
  5. Qual foi o jogador que mais se destacou com a camisola do SL Benfica? Nessa nota, quem foi a maior deceção?
  6. Quais são os aspetos positivos que o SL Benfica pode tirar deste jogo?
  7. Enfrentaremos o CD Aves na próxima partida, no Estádio do CD Aves, em jogo a contar para a 3.ª rodada da Taça da Liga 2018/9. Quais as perspetivas?

Relacionados

submitted by fidjudisomada to benfica [link] [comments]


2018.12.10 20:13 jggomes14 Análise do elenco pra 2019 - Parte 1, sistema defensivo.

Bom, aqui tem a minha análise dos jogadores que compuseram nosso elenco em 2018, dos que retornam de empréstimo e dos possíveis promovidos das categorias de base.
Goleiros:
Júlio César teve a melhor temporada da carreira dele em 2018, superou a desconfiança da torcida e foi o principal responsável pela permanência do Clube na primeira divisão em 2019, alem de ser um dos lideres do elenco, deviam nem pensar muito, dá logo os dois anos de contrato que o cara tá pedindo, ninguém vai reclamar não.
Rodolfo se consagrou como favorito da torcida e como uma boa opção na ausência do Júlio, sendo uma alternativa boa caso não saia a renovação com o Júlio César. Por mim, só renova se o Júlio não renovar, eu gosto muito do Tio Rodolfo mas a gente não pode ter ele e Júlio no elenco, tira espaço de uma garotada muito boa que vem subindo agora.
Marcos Felipe é meu queridinho, quem me acompanha no sub sabe que eu fazia campanha pra ele ser titular desde 2016, o guri é brabo, 22 anos e muito potencial, tem bom reflexo e provavelmente é nosso melhor goleiro com a bola no pé, deixava Ederson, Alisson e afins no banco nas seleções de base.
Subindo da base:
Pedro Paulo é uma excelente opção seja pra terceiro goleiro em 2019, seja pra ser emprestado pra ganhar experiência. É seguro, mas não acho que vá ser aquele cara que faça milagres, que faça 8 defesas difíceis por jogo, potencial dele é de bom reserva em time grande e só.
Marcelo é nossa joia da coroa entre os goleiros, no dia que em que eu escrevo esse texto, ele ainda não completou 16 anos, mas já é um senhor goleiro na sub 17, além de já ter sido convocado pras seleções de base da categoria mesmo sendo quase 2 anos mais novo que a maior parte dos jogadores.
Laterais:
Gilberto tinha que ser a prioridade de renovação da diretoria, aproveita que tá vendendo Deus e mundo e joga uma grana pra Fiorentina pra ver se consegue manter ele aqui, foi um dos principais jogadores do time em 2018, tanto que no momento que ele se machucou, o time perdeu totalmente qualquer chance de ataque pelo lado direito.
Léo pode ir embora, não fez nada que tenha me aberto os olhos pra uma possível renovação de empréstimo ou compra, tchau e bença
Igor Julião me surpreendeu nos poucos jogos que fez esse ano, não é o cara que eu amaria pra ser meu lateral direito titular, mas é bom o suficiente pra compor o elenco, mantém ele na reserva do Gilberto ou, caso não consigam a renovação, bota pra jogar no Carioca e deixa ele pegar confiança lá, é a hora do ou vai ou racha dele.
Ayrton Lucas, Léo Pelé e Marlon não vão continuar no clube em 2019, os dois primeiros foram vendidos e o último não deve ter o contrato de empréstimo renovado com o Criciúma, é uma pena.
Voltando de Empréstimo:
Mascarenhas não tem nada a ver com isso, e pede passagem depois de uma boa temporada no Atlético Goianiense, tem características completamente diferentes de Ayrton Lucas e Marlon, sendo um pouco mais defensivo e com uma inteligência tática maior.
Subindo da base:
Diogo estourou a idade, já foi relacionado algumas vezes pelo Abel no início do ano, pode jogar tanto como lateral direito quanto zagueiro num 3-5-2, é uma boa peça pro ano que vem.
Zagueiros:
Gum é um ídolo, líder, capitão e já foi muito bom zagueiro. Só renovar com ele se não conseguíssemos nada com Digão e Júlio César, só pela experiência e por sua liderança.
Digão tinha que ser uma das prioridades da diretoria, bom zagueiro, ama o clube, era um dos lideres do elenco e pode pegar essa manta do Gum, o que seria muito importante, além de trazer qualidade e experiência pra um setor que vai ser incrivelmente mais novo ano que vem.
Paulo Ricardo chamou gol toda vez que ele jogou, chega a ser impressionante isso, manda ele de volta pra Suíça.
Ibañez foi muito bem pra primeira temporada dele no time principal, tem muito o que evoluir em 2019, por mim começa o ano disputando posição no time titular (caso joguemos com 2 zagueiros) ou titular absoluto (num esquema com 3 zagueiros).
Frazan tá marcado por alguns erros na carreira, ele é novo ainda, por mim empresta ele pro guri ter tempo de jogo e pra sair da corneta da torcida um pouco.
Voltam de empréstimo:
Reginaldo foi pra Ponte por conta do Luan Peres, pra no final o Luan Peres ir pra Bélgica e nos deixar de mãos abanando. Reginaldo volta com mais moral do que saiu, se é que isso é possível. É o cara pra substituir o Gum no esquema com três zagueiros ou pra dividir a zaga com o Digão no esquema com 2 zagueiros.
Nogueira foi muito bem no Figueirense, volta como excelente opção pra zaga e aumentando a competição na posição, assim como o Nathan Ribeiro.
Derlan foi bem no time de transição do Grêmio, vi alguns caras que cobrem o Grêmio implorando pra que eles fizessem a compra do jogador e que o integrasse no elenco principal ano que vem. Daria uma chance pra ele no Carioca, caso vá bem, excelente opção pra compor o elenco, caso vá mal, empresta de novo pra um time de série B
submitted by jggomes14 to nense [link] [comments]


Foi assassinada a facadas moradora de Santa Terezinha de Itaipu O IMPOSTOR MAIS CARA DE PAU DO AMONG US - YouTube [#19 EVOLUÇÃO] SUBINDO MUITO FC E SENDO O CARA MAIS AZARADO DO JOGO Como 'Se Dar Bem' Sendo O 'Cara Legal' O Felipe Neto está sendo o cara! - YouTube O REI DA INGLATERRA!! Carreira Jogador #19 Um pedido para o jeeffblox me dar robux no roblox ULTIMO ROLE DO VESGO COM A CASA MAROMBA SENDO O CARA CHATO QUE USA APENAS GOLPES FORTES NO ...

Se vcs fossem o Domenec : futebol

  1. Foi assassinada a facadas moradora de Santa Terezinha de Itaipu
  2. O IMPOSTOR MAIS CARA DE PAU DO AMONG US - YouTube
  3. [#19 EVOLUÇÃO] SUBINDO MUITO FC E SENDO O CARA MAIS AZARADO DO JOGO
  4. Como 'Se Dar Bem' Sendo O 'Cara Legal'
  5. O Felipe Neto está sendo o cara! - YouTube
  6. O REI DA INGLATERRA!! Carreira Jogador #19
  7. Um pedido para o jeeffblox me dar robux no roblox
  8. ULTIMO ROLE DO VESGO COM A CASA MAROMBA
  9. SENDO O CARA CHATO QUE USA APENAS GOLPES FORTES NO ...

#10anos #amor Seja meu amigo(a) no Facebook https://www.facebook.com/amandio.verbaloide Ajude Alguém hoje: Luciana Feliciano tem esclerose múltipla progressi... se inscreva no meu canal ative o sininho para mais vÍdeos como esse SE INSCREVE NO CANAL E DÁ LIKE NO VÍDEOOOOOO S2S2. É possível 'Se Dar Bem' Sendo O 'Cara Legal'? Claro que sim, se você for inteligente e honesto com você mesmo e com ela. Nesse vídeo eu dou uma estratégia simples e eficaz para fazer isso ... Jeeffblox , galera eu ja sou um inscrito no canal dele e no roblox eu sou do grupo do jeeffblox!! Meu nick:Rhonald3_Fred. O Gael não para de se destacar na Premier League. Ele vem sendo o cara das assistências e também o cara da decisão. Caiu nas graças da torcida e esta sendo cotado entre gigantes da Europa! Link para o meu segundo canal: https://www.youtube.com/channel/UCgy_w2oYBPwWyrT0YzGDUQA Vídeo todos os dias lá ao meio-dia Contato: [email protected] (... OLHA COMO ESTA SENDO O CARNAVAL DA CASA MAROMBA - Duration: 18:33. Em busca do shape inexplicável 559,382 views. 18:33. Language: English Location: United States Restricted Mode: Off ... No local foi contatada o óbito da vítima do sexo feminino, sendo o local isolado até a chegada da Policia Civil, Policia Cientifica e o Instituto Médico Legal. Com a chegada do perito criminal ...